terça-feira, 25 de maio de 2010

AMIGAS!



Por mais distante que estivemos,                                                   
A vida sempre nos uniu,
Se não nos conhecíamos?
Que ironia penso eu, 
Nos unimos não?

   Diferente de todas, estamos lá,
  Não importa nossas diferenças
  Lá estamos, 
 Quem somos nós?
                                                   
  Amigas e nada mais, 
  Pessoas que nos fazem seguir, 
   E que lá estão a brilhar, 
   E prontas para nos ajudar,


  Pessoas que nunca esqueceremos,  
  E que esperamos nunca nos separar, 
   Aquelas que são especiais,
    Mas que apesar de tudo nós amamos.
                                    


                                                                 As amigas!
                              


Escrito por B.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Voo solo.

                        Pela primeira vez na vida eu iria para longe, mamãe me permitiria voar fora do ninho para aprender a voar, era com pesar que fazia isso, mas como toda mãe ela sabia que eu tinha que partir.
                       Na primeira aula de voo mamãe e papai mostraram para mim e para os meus irmãozinhos como se voava, parecia tão fácil, mas quando tentamos, caímos, não voávamos direito, mas nossos pais estavam lá, nos erguiam e faziam prosseguir, um mês ou mais depois, todos sabíamos voar e eu estava um tanto inseguro, era difícil abandonar o meu lar, mas precisava ir em busca da minha família.
                      Nos reunimos em fila, cada um se despedia um do outro e voava para o céu, eu fui o último, meus pais me encorajaram, nos despedimos e eu voei, ao encontro do futuro, em direção ao desconhecido,  meus pais sabiam que naquele momento eu estava pronto e de alguma forma eu também sabia.




                                    Escrito por B.

domingo, 23 de maio de 2010

Sozinha


                       Ela se sentia tão sozinha, sua casa desmoronou sob seus olhos, seus pais brigavam, mas eles não eram mesmo seus pais, ela descobrira que era adotada, então fugira de casa, foi até o aeroporto, enquanto ia até lá viu os horrores do mundo, viu tudo aquilo que seus pais esconderam, pessoas se drogando, crianças pedindo esmolas, meninas vendendo o corpo, bêbados caídos, pessoas sem moral, a vida sendo destruída, ficara horrorizada, chegou ao aeroporto apenas pensando.
                       Chegando lá, tirou um extrato bancário, devia ter uns dois mil euros ou mais, quando viu ali tinha trilhões, se assustou e sentou em um banco. Um garoto aproximou-se e pediu:
                      -Você é Bárbara? - ela assentiu, o garoto lhe entregou uma carta, Bárbara deu-lhe algumas moedas, esperou ele sair e abriu a carta:

                          " Bárbara, 
                  
                           O dinheiro em sua conta bancária, é uma parcela do que irá ganhar, ajude quem quiser, e quando sentir-se pronta venha até a França no caminho de Santiago de Compostela, me encontrará lá,
                         Minha filha, boa sorte,
                                            Papai, Edward Wolfer''.


                     Ela tinha um caminho, iria se preparar e então encontraria suas origens, ela tinha um objetivo e depois de consegui-lo ela iria para a França e conheceria sua real família. Saiu dali, abriu  seu guarda-chuva abriu-o e saiu andando, ela buscaria seu objetivo, mas antes, iria se informar e estudar, logo estaria pronta.
  
                                                                         

                                          BY
                                                                              B.