quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ao vento, meu companheiro de tristezas.


Ao vento hoje digo, 
que és meu companheiro, 
ao me chorar 
e ao meu alegrar,


As tristezas já passaram, 
tantas lágrimas aqui derramaram,
e o vento limpou, 
e ajudou, 


Apenas uma força sabia, 
que já viu jovens chorarem, 
jovens amarem, 
e jurarem a ele.


AO vento meu companheiro de tristezas,
de aventuras,
de amores, 
dedico esse espaço a ti, velho amigo.


Hoje digo, 
"Vento, meu amigo,
companheiro, 
você vai e volta,
aconselha e também chora
hoje eu digo obrigado"


A todos os apaixonados, ou odiados
que o vento viu a história, 
e hoje são o que são, 
e mal sabem que ele os ajudou com uma velha emoção.

B.M.P.C

terça-feira, 22 de junho de 2010

Esperança de um pracinha (escrito em 2009)

ESPERANÇA DE UM PRACINHA ( por B.M.P.C):


                 Longe um soldado valente
                 Lembra de sua terra querida,
                 De onde saiu para lutar
                 E para onde voltará contente;

                 O pracinha lembra que deixou lá,
                 Uma casa branca,
                                   As margens crespas do rio,
                             Onde se banhou ainda menino.

                 Ele sente saudade
                 Do luar, da Maria cujo.
                 M está na palma da mão,
                 Que recorda com vaidade

                 O soldado que
                 Sonha com a namorada
                 E com esperança pede
                 Para que volte para a pátria amada.

                 Ele pede a vitória
                 A glória de sua pátria
                 Para onde deseja retornar
                                            E lá AMAR!  


B.

sábado, 19 de junho de 2010

Andando sozinha descobri...


Andando sozinha na praia deserta, escutando o doce som das ondas, sentindo a água salgada batendo em meus pés descalços, sentindo o cheiro salgado e sentindo o sol sob meu corpo iluminando-me, percebi que a felicidade está nas menores coisas, que nem sempre quando o mundo desaba sobre sua cabeça, você fica infeliz, nem quando algumas pessoas que você daria sua própria vida viram-lhe as costas e você descobre as pessoas certas e que nem sempre onde você via o bem era onde havia e onde achava que era o mal era onde existia, que a paz era isso, pensar e estar feliz consigo mesma, pensar na vida, gastar cinco minutos do seu tempo para pensar e fazer o que gosta.

Então acordei, a praia havia sumido e eu estava acordada, no meu quarto o sol entrava na janela e me iluminava e era como se dissesse para eu seguir, como na praia, fazer o certo e combater o errado, seguir a minha luz e o meu caminho, ver a vida em seu melhor e seguir para sempre em paz e tentar sempre ver uma saída para os caminhos errados, levantei e me vesti, eu iria começar desde aquele instante a viver a minha vida como ela deveria ser e não como queriam que ela fosse.




B.M.P.C


terça-feira, 15 de junho de 2010

A noite chega...

A noite chega e eu estou acordada, é uma sensação de solidão e amplitude, sentada vendo as águas baterem na rocha, sob a luz da lua completamente cheia e as estrelas brilhando, sinto que sou unica no universo e que em um mundo maravilhoso não pode existir essas coisas tão ruins que existem, não poderia existir poluição, corrupção, brigas, traições, miséria, estupidez, hipocrisia, fanatismo, heresia com o povo, heresia de princípios, aqui tudo é paz. a brisa, mas o sol começa a nascer e eu tenho que ir, dormir, não, o dia só começou e eu perdida em pensamentos não dormi essa noite, mas vou viver, esperando e tentando fazer que minha vida tenha sempre a paz  dessa noite.



B.M.P.C

terça-feira, 1 de junho de 2010

As dúvidas da paixão

Se eu pudesse definir o que sinto por você,
É muito mais que paixão,
Isso é bem mais fundo que meu coração,
É um mistério sem razão,


Quem sabe é amor!
Mas então porque sinto tanta dor?
E ao ver você tudo acalma?
E quanto fala meu coração salta?


Me falaram que é paixão,
Sei que é do meu coração.
Mas como, como  fui sentir isso?
 Alguém me explica por que para mim isso não tem sentido?


Como eu, alguém que nunca quis crer no amor,
Sente agora a dor,
e a emoção,
disso que chama paixão?


Por que? Isso é tão misterioso,
É tão sedutor, 
E parecido, mas não é igual ao amor
E tem um mistério, que mais que os outros, que deixa mais duvidas,


Serás que é correspondido?
Serás que ele não percebes?
Serás que um dia poderei em paz, sem essas duvidas o amar?
Quando estaremos juntos, para poder para sempre assim estar?


Enquanto isso, 
ficam-se tudo, 
eu penso melhor
Porque eu amo? Porque sou humana, e  sei que apenas amo e sinto o mistério da paixão.

 By B.