sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Hey pequena, Hey garoto, quantas vezes...?

Tumblr_luxncbvnn31qf1ae3o1_500_large
Hey pequena, quantas lágrimas você já desperdiçou chorando pelo garoto errado?
Hey garoto, quantas vezes você chorou pela sua pequena que chorava pelo cara errado?
Hey pequena, quantas vezes você parou para pensar em quantos que choravam por você?
Hey garoto, quantas vezes você quase teve coragem para abraçar a sua pequena e se declarar  para ela?
Hey pequena, quantas vezes você já pensou que o cara pelo que chorava era o cara errado?
Hey garoto, quantas vezes você sonhou com ela sorrindo do seu lado?
Hey pequena, quantas vezes você reparou naquele garoto legal, que é seu amigo, mas que sempre arranca uma risada de ti?
Hey garoto, quantas vezes você já pensou em mostrar a ela que você é o cara certo?
Escuta pequena, enquanto você chora por um idiota tem um cara legal chorando por você, enquanto você corre atrás de alguém que não vale a pena, tem alguém do seu lado querendo te fazer feliz. 
Escuta garoto, sua pequena pode estar chorando por um idiota agora, mas você não pode desistir, você tem que mostrar para ela que é o cara perfeito, e não precisa ser o mais lindo, ou o mais alguma coisa para mostrar isso, você só precisa se importar realmente com ela. 
Escuta pequena, quando alguém falar que gosta de você pare e pense, porque você pode deixar escapar pelas suas mão o cara perfeito para você, pensando em um cara idiota que nunca vai ficar com você. 
Escuta garoto, a sua pequena pode ser sua, e você precisa mostrar a ela que você é perfeito para ela, como? Eu não sei, mas me contaram que se você contar o que sente para alguém, e pedir uma pergunta, terá apenas uma resposta, e se uma delas for a que você não quer, parta para outra, porque sua pequena na verdade é uma idiota. 
Escuta Pequena, quando seu garoto lhe fizer a pergunta, esqueça o garoto idiota, e responda certo, pois conforme a resposta e conforme o motivo a idiota pode muito bem ser você. 
E vocês dois lembrem-se sempre, nunca se importem com o que vão dizer, pois é somente seu coração que importa quando uma pergunta é feita e uma resposta deve ser dada. 



(Bibiana Maria Pivato Carneiro) 

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Café e suspiros...


Tumblr_ltqgtxlfra1qgbrx5o1_r3_500_large

Pego uma xícara de café e olho o líquido delicioso que está ali dentro, e suspiro, o gosto do café que agora desce pela minha garganta, o gosto é bom, e a bebida forte, mas ao mesmo tempo gostosa e acolhedora, faz-me suspirar mais uma vez, pois me fez lembrar de um sentimento com o qual estou tentando lutar contra. 
Estar apaixonada pode parecer legal, bonitinho, fofo, emocionante, mas no fundo não é algo assim. Certo, dá aquele frio na barriga gostoso, e aquele quase parar do coração que logo depois se acelera e parece que vai explodir. Isso são sensações boas e emocionantes, pelo menos quando a sua paixão está por perto. Lembrar disso me faz dar mais um suspiro. 
A paixão é bela sim, e ainda mais bela quando correspondida. O problema é que normalmente a pessoa por quem estamos apaixonados não está apaixonado por você, ou pelo menos, esse é o caso com essa garota que agora toma esse café, e solta mais um suspiro ao se lembrar de seu caso de paixão que não sabe se é correspondida ou não.
Tomo um gole longo do café, que desce mais uma vez, quente, gostoso e acolhedor. As perguntas mais frequentes que vem a mente de um apaixonado vem a minha agora, porque dentre tantos outros fui escolher ele? Minha mente entende que ele não é alguém tão legal assim, e que não vale a pena estar na dele, mas fala isso para o meu coração teimoso e idiota, e que continua teimando em não entender.
Mais um suspiro escapa de mim, sou uma idiota, essa é a conclusão que eu chego. Estou me iludindo, não posso continuar presa a ele. Mesmo que ele sorria não posso me deixar levar pela esperança de que isso pode significar algo, ou de que podemos ter um futuro. 
Tomo um gole de café. E sei muito bem que presa a um cara que nem liga se estou bem ou não, posso ter perdido quantos outros melhores e que me amariam muito mais do que ele? Eu suspiro. Mas será que eu poderia sentir o mesmo?
Meu café está no fim, eu pouso a xícara na mesa e olho para a porta da cafeteria, ela é de vidro, e ainda está chovendo lá fora, e é quando eu o vejo, os cabelos meio molhados, a cabeça meio abaixada, e assim que entra ele me vê e sorri. 
Eu sinto o frio na barriga, e o coração parar para depois disparar, eu suspiro, e sorrio. Ele vem e senta do meu lado e meu coração se enche de esperança novamente. 
E vejo que aquele café cheio de suspiros e  tentativas de me desapaixonar só com um sorriso dele tudo foi por água abaixo, mas será que eu perderia todo o meu tempo iludida e esperando ele tomar uma atitude? Ou daria um basta, o evitaria, e mesmo que partisse meu coração, fugiria para o esquecer e deixar a minha vida rolar e novas paixões surgirem?
Sei que a segunda opção não vai demorar muito a ser feita se essa paixão não acontecer, mas até o fim desse café eu vou aproveitar e deixar meu coração idiota falar um pouquinho mais alto, mas prometo que essa será a última vez.


Por B.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Um pouco de açúcar...

Ela acordou cedo naquele dia, levantou-se da cama com os cabelos bagunçados e os olhos avermelhados, chorara a madrugada pelo rapaz que estivera apaixonada por muito tempo. Por um tempo ela acreditara que ele gostava dela, mas agora sabia que talvez aquilo tivesse sido só tempo perdido. Agora estava longe, estava em outra cidade, começando uma nova fase de sua vida. E prometera a si mesma que iria esquecê-lo. Mas não era fácil, era quase uma doença, parecia que ela precisava dele. A garota sorriu com a ideia besta e revirou os olhos, ela não precisava dele, isso era só uma idiotice de uma garota apaixonada. 
Caminhou bocejando até a cozinha, e começou a preparar uma xícara de café, enquanto o café passava, ela começava a sentir o cheiro gostoso da bebida preencher a cozinha, ela ligou o computador, e verificou os e-mails. E quase deu um pulo ao ouvir a campainha tocar. 
Esquecendo-se que estava de pijama simplesmente foi até a porta, e olhou pelo "olho mágico", e surpresa viu seu antigo melhor amigo ali, um que fazia anos que não via, ela sorriu e abriu a porta, ele estava muito bonito. E a olhou de cima a baixo, ficando boquiaberto. 
-Ah... - a garota corou ao perceber que estava com uma camisa velha e um short curtinho, sem contar que ela deveria estar um caos - Espera aí, Tina?
-É, sou eu, é você mesmo Rafa? - ela perguntou sorrindo, e ele assentiu - Desculpe pelas minhas roupas, eu acabei de acordar...
-Você passou a madrugada chorando por culpa dele, não é mesmo? - a garota corou e suspirou - Ele não te merece Tina.
-Eu sei disso Rafa, mas não mando no coração... Sou uma trouxa, eu sei...
-Não, você só é sentimental demais, e teimosa - ele falou sorrindo e abraçou a garota, que deu uma risada.
-Certo, sou teimosa, mas entra, estou fazendo um café... Aliás, porque você está batendo em plena seis e meia da manhã na minha porta?
-Sou seu vizinho da casa do lado - ele falou sorrindo - Acordei agora pouco e fiz um café, mas percebi que não tinha açúcar, aí vim pedir um pouco.
-Um pouco de açúcar? Bem, vem, toma o café, e aí eu te dou o açúcar - ela falou sorrindo e praticamente puxou o garoto  para dentro. 
-Já que você pediu tão educadamente...
-Rafa, nem tente disfarçar, eu estou mandando, não pedindo -os dois riram com a frase que a garota costumava sempre falar quando praticamente obrigava o amigo a fazer algo por eles dois. 
Enquanto ela pegava as xícaras, Rafa percebeu como a amiga crescera, a última vez que se viram fora na festa de uma amiga, os dois moravam longe, e sempre se falavam por e-mail, ou telefone. Eram quase irmãos, mas agora ele estava vendo Tina com outros olhos. 
Tina serviu o café, e sorriu para Rafa, alguma coisa dentro de si começava a mudar, o garoto que ela chorara a noite estava quase que esquecido, e ela percebeu que talvez tudo o que sentia por aquele garoto estava quase que sumindo, como sempre acontecia quando falava com Rafa. 
-Então, você veio para cá, vai cursar que faculdade? E onde? - Tina perguntou começando a tomar seu café. 
-Medicina, e acho que na mesma que você...
-Tá brincando? Então nós vamos fazer o mesmo curso, na mesma universidade, ou seja, nós vamos estudar juntos?
-É bem provável né Tina - ela sorriu ao ouvir isso dele, por algum motivo era bom saber que eles estariam por perto.
Conversaram por mais algum tempo, até que ela pegou o açúcar, e entregou a ele, assim que ela fechou a porta, sentiu a respiração falhar, e começou a rir, mesmo sem saber, Rafa havia tomado o lugar daquele babaca por quem se apaixonara uma vez, e dessa vez ela podia ter certeza que não iria se decepcionar. 
Rafa sorriu ao entrar em casa, e prometeu que nunca deixaria Tina chorar, só se fosse de alegria, e prometeu a si que ela seria a mãe de seus filhos. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Resenha do Livro: Anna e o Beijo Francês.

Sinopse:

“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também,

embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados

Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa,

que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a

Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão

a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica
do mundo.”
Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor
norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem
um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer.Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece
Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada... Anna
e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris
terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?
Stephanie Perkins escreveu um romance de estreia divertido, com personagens espirituosos que garantem dedos
formigando e corações derretendo.



Trailer:                                                                                 


Bem, como eu posso começar a falar sobre esse livro?
Ele é simplesmente incrível, do começo ao fim, o romance dele, é muito bem trabalhado, não é algo trágico, ou como "Ele é o ar que eu respiro". Na verdade é bem ao contrário disso. É algo que se aproxima do que se pode acontecer na vida, e é emocionante, cativante do início ao fim. 
Sthepanie Perkins, é uma ótima escritora, e os seus personagens são incríveis com características únicas, marcantes, e que você pode até reconhecer algumas das características, boas ou ruins deles, que são suas. E sinceramente o universo de jovens que ela pegou é muito interessante. 
A Scholl Of America in Paris (ou como os personagens chamam: SOAP), é um internato no meio de Paris, a cidade mais romântica do mundo, e é onde Anna vai estudar. No começo ela fica com vergonha, pois não sabe falar francês, e não conhece ninguém. Está no último ano, e isso não é uma situação agradável, sem contar que não fala francês. 
E é nisso que ela conhece Étienne St.Clair, um garoto extremamente atraente, e popular. E eles se tornam melhores amigos. E como já comentei, não é uma paixão instantânea, pelo menos não da parte dela. Anna demora um tempo para descobrir que gosta, ou melhor, ama St.Clair. 
A autora trabalhou muito bem aquele drama "Ele gosta de mim também?", e fez uma história incrível. Não só utilizou o romance como ponto principal, nem os dramas adolescentes da garota, ela fez um enredo surpreendente, e que se faz ter um sentindo em toda a história. 
Depois que você começa a ler não quer mais largar o livro, e simplesmente o final é lindo, não é aquele "E eles viveram felizes para sempre", mas sim algo como... Bem, aí vocês vão ter que ler para descobrir. 
Mas o livro vale muito a pena. Eu que não sou muito chegada em romances. É um livro que vale a pena ser lido, e relido. 
Anna e o Beijo Francês é um livro apaixonante da primeira página a última. Tudo nele é incrível, o ritmo, o jeito que foi escrito, o enrendo, os personagens, e o final, nada vai decepcionar. A autora conseguiu fazer um romance perfeito, e bem, é simplesmente isso. É um livro que vale a pena ser lido. 

sábado, 29 de outubro de 2011

.....



            “John! Que bom que você veio! Hey, não, devolve minha sapatilha!” os gritos dela ecoavam pelo pátio, e as risadas dele eram quase como melodia, para a pequena garota, que ainda estava vestida com seus trajes de bailarina, e as sapatilhas, que agora estavam nas mãos do garoto loiro, estavam antes penduradas na mala.
“Calma pequena, preciso de pagamento para devolvê-las” ele disse sorrindo marotamente, ela riu, abraçando-o, e dando um selinho no garoto que a puxou para perto de si e aprofundou o beijo.
 “Agora você devolve elas para mim?” A garota perguntou sorrindo, e estendendo a mão, o garoto devolveu as sapatilhas e a puxou para si, dando-lhe mais um selinho.
“Claro que sim minha pequena bailarina!” ela riu, adorava os apelidos que ele lhe dava, mesmo que sempre corasse quando ele inventava um novo. E ele adorava a cor que tingia a face da garota.
O garoto segurou a mão dela, e assim, de mãos dadas, eles caminhavam a esmo, ele tinha seu skate preso a mochila, e ela a sapatilha. Eram tão diferentes! E parecidos ao mesmo tempo...
            Ela era a bailarina, leve, pequena, delicada. Ele era um skatista, grosso, musculoso, alto, forte. Ela o completava. Ele a completava. Os dois se amavam. Um amor puro, de jovens, mas um amor que iria evoluindo ao passar dos anos.
            Aquele amor causava inveja, fofocas, intrigas, mas os dois antes de começarem a namorar, foram melhores amigos, nada conseguiria abalar aquilo, não seria a diferença entre o esporte que cada um praticava que faria aquilo.
            A cena dos dois caminhando juntos, um com skate na mão, ou com um violão, e a outra com a sapatilha, ficaria famosa, e marcada para sempre no coração dos jovens. Amanda era o nome da menina, ela se tornaria a mais famosa bailarina. E ele, se tornaria um astro do rock.
            Eles não teriam um final feliz, eles teriam uma vida juntos, uma vida com brigas, intrigas, mas sempre fortaleceria o amor. O amor que eles cultivaram durante toda a vida. E por mais que as pessoas tentassem destruir a felicidade dos dois, o amor sempre venceria.
            E olhando aquela singela cena, eu suspirei pela milésima vez, o futuro deles era brilhante, belo, incrível, e desejei que por um momento todos os casais fossem como eles, menos orgulhosos, e deixassem sempre que o amor vencesse.

Por B. 

            

segunda-feira, 10 de outubro de 2011



O garoto desce do skate e entrega uma carta para a garota, que sorri, torcendo para que aquilo não fosse uma carta de despedida como pensava que era, ela abriu lentamente, e começou a ler as linhas traçadas pela letra firme do garoto.


"Meu amor,
E eu ainda me lembro bem, quando eu pensei que te vi pela última vez, me lembro daquele sorriso bobo que brincava em seus lábios, e me faziam querer sorrir também. 
Eu ainda me lembro bem de sua voz manhosa, suas birras e brigas pelo meu jeito de ser, mesmo que no fundo fosse exatamente por aquele meu jeito que você gostasse de mim.
E eu me lembro bem de como eu reclamava, implicava, e enchia seu saco, querendo atenção e aquela sua risada, que você sempre achou ridícula, mas para mim era a mais linda do mundo.
Te ver partir daquele modo foi a pior coisa que eu poderia ter vivido, foi a pior coisa que eu fiz, foi minha maior idiotice. Foi uma das primeiras vezes que eu desejei não ter errado tanto.
Eu te vi escapando das minhas mãos, eu te vi se afastando e então eu te vi partir, eu te vi ir embora, e fiquei só olhando, em vez de te segurar, abraçar-te como eu sei que você gostaria, e pedir para que ficasse. 
Mas eu sou um idiota, e não fiz isso, só te vi partir e fiquei observando ir embora. 
Sentindo meu coração se despedaçar e a única garota que eu amei indo embora, mas algo dentro de mim nasceu naquele momento, e então peguei meu skate e corri atrás de você.
Claro que nunca te alcançaria, sendo que você estava com um carro e eu de skate, mas eu tentaria pelo menos chegar a tempo no aeroporto.
E eu consegui, você estava lá, esperando o avião que te levaria para longe de mim, olhando para os que partiam, e suspirando, dando um sorriso assustado, e ao mesmo tempo triste. 
-É feio ir embora sem dizer adeus - eu falei dando meu melhor sorriso de canto, e vi que você me ignorou propositalmente - Eu sei também é feio abandonar a melhor amiga.
-É feio abandonar os sentimentos também, mas você sempre faz isso - você respondeu, eu poderia ter ido dormir sem aquilo, mas você me conhece, eu gosto de receber "cortes", principalmente os seus, que sempre vinham com respostas inteligentes que eu não sabia como retrucar. 
Mas para aquele "corte" eu sabia, e foi por isso que eu te puxei para perto de mim, abraçando-lhe e aproximando seu rosto de mim, olhando para ela e dando um daqueles sorrisos que você adora.
-Só que dessa vez eu não tô abandonado meus sentimentos, talvez seja tarde demais para correr atrás deles agora, mas estou tentando - eu falei fazendo você corar e ficar sem respostas pela primeira vez na vida.
-Pensei que você tinha uma vida para cuidar, e não iria perder o tempo com garotas como eu - você respondeu, tentando inutilmente teimar comigo.
-Eu tenho, mas ela é muito teimosa, e acredita demais nas minhas idiotices - eu respondi, e vi você revirar os olhos, e dar um sorrisinho, e foi aí que eu te puxei para um beijo.
E foi assim que você perdoou esse idiota, e foi assim que começamos a namorar. E meu amor, não estou aqui para terminar com você, e sim para pedir que esse nosso amor seja selado ainda mais.
Olhe para frente"

A garota viu que a carta terminara, e ela ainda estava com as lágrimas provocadas pela lembrança daquele dia, e ainda porque, ele se lembrava de tudo! Ela olhou para a frente, assim como o garoto mandara na carta, e o viu ajoelhado com uma caixa aberta, mostrando uma bela aliança.
-Casa comigo meu amor? - ele perguntou dando um sorriso que ela amava. Ela deu um sorriso, sentindo as lágrimas de alegria caírem de seus olhos. 
-É claro que eu caso, meu idiota - ela respondeu sorrindo, e o abraçou, beijando-lhe os lábios, enquanto ele, colocava a aliança nela. 
E mostravam a todos que passavam que seu amor fora mais forte do que tudo aquilo que quase os impediu de ficar juntos, mostraram que valeu a pena lutar por aquele amor, e que agora eles estavam prontos para serem marido e mulher.

Por B.


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

.......

Ela sorri, ele sorri, os dois parecem o espelho um do outro, ela mexe no cabelo, ele bagunça o seu. Ela leva os olhos ao relógio, ele também, os dois tentam não cruzar olhares, mas os olhares se cruzam. Os sorrisos aparecem. 
Eles também parecem contrários, mas que se completam, ela mais tímida, ele mais extrovertido. Eles são melhores amigos. 
Ele a ama, ela não sabe, mas também o ama. Eles ficam em um chove não molha irritante, e eu tentando bancar o cupido só fico imaginando, que se tivesse tido essa chance não teria desperdiçado. 
Dou um sorriso sozinha, não posso pensar no passado, mesmo ele sendo bom, vou pensar na frente, ajudar que eles não cometam os mesmos erros, ajudar que pelo menos dessa vez, a história que era para se nossa, dê certo com alguém.

Por B,

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Sorrio para o sol...

O sol parece querer anunciar algo que possa me mostrar, que o mundo irá voltar ao seu rumo normal, que depois das tempestades e das Trevas, o sol e a Lua voltam a brilhar. 
A chama da vela arde, e me tira da escuridão da noite sem estrelas, e acordo, contemplando o sol, que nasce, trazendo o calor, e me fazendo sorrir. 
Mil pensamentos invadem a minha mente, e eu agradeço por estar vivo, e então deixo as imagens que só falam de você invadirem a minha mente, e mostrarem milhares de situações, das quais eu sei que a maioria, irão ficar apenas na minha imaginação.
Sorrio, para o sol, a noite já se foi, a chuva já passou, e de alguma maneiro, tempestades novas se aproximam, mas você está comigo, e Ele também, e dessa vez sei que vai ser bem fácil. 
Levanto a cabeça e olho para o horizonte, um longo caminho tenho a trilhar, mas sei que vou conseguir, se aprender que nem sempre seus amigos estarão lá, e que as pessoas erram muito, quando são egoístas. E que normalmente você não se dá bem dando a vida por aqueles que você ama, mas não te amam. 
Suspirando, eu dou um sorriso, espanto esses pensamentos que me deixam mal da cabeça, e só vejo o sol, deixo a luz me iluminar, e me lembrar de você. 


Por B.

domingo, 4 de setembro de 2011


"Eu estou com medo" um sussurro fraco foi pronunciado de meus lábios, eu tremia e me sentia sozinha naquele momento.
"Calma, eu estarei aqui com você" uma voz que vinha de dentro do meu coração respondeu, e eu me assustei. 
"Quem é você?"perguntei olhando em volta inutilmente, pois a escuridão não me deixava ver nada.
"Eu sou Deus minha filha, moro em seu coração, e em todos os lugares, não tenha medo estou com você" a voz sussurrou em resposta, eu sorri, a voz estava dentro de mim, não tinha o que temer. 
"Obrigada Senhor, por estar comigo, mesmo no meio disso tudo, e sinto muito por pensar que estava sozinha" eu sussurrei em resposta, e juro que vi a sombra de um sorriso em algum lugar.
"Não é porque você ache que está sozinha que você realmente está... Estive sempre aqui, mesmo quando não pode me ouvir... Lembre-se você nunca estará sozinha! Tenha fé..." e aquela voz me salvou, a escuridão continuava a mesma em volta de mim, mas algo dentro do meu coração começava a mudar, era uma chama que logo iluminaria o meu caminho... Era a chama da Fé.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

  A vida parecia tão distante
Naquela fantasia que não teria fim 
Aquele problema entediante 
Estava longe de mim 

Eu não queria voltar, 
Tudo era um sonho, 
E não fazia sentindo ter que acordar.
E ter que voltar para aquele pesadelo real e medonho.

Eu queria ficar
E me afundar na fantasia 
Mas o real me chamava e dizia:
"Acorde e tente fazer a fantasia vir na sua realidade adentrar".

O sol invadiu meu quarto, e tive que acordar, 
O sonho se foi, mas a magia ficou, 
Suspirei, e soube que a realidade precisava com a fantasia se misturar 
E que como a voz me disse "Não deixe que esse sonhou seja mais um que você sonhou" 

Realidade 
Verdade
Fantasia 
Magia 

Era assim que eu viveria.
Meu sonho eu realizaria. 
Na minha vida eu acreditaria. 
E sabia que por onde eu caminharia, Alguém sempre me protegeria.


Por B.

(Meio sem sentido esse poema, mas em fim espero que tenham gostado =D )  


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Declaração...

A garota estava sentada, escondida de tudo e de todos, ela precisava pensar, e suspirou, as coisas estavam confusas, estranhas, e ela estava com tanto medo. Tirou seus cabelos do rosto, e mordeu o lábio, olhando para a paisagem a sua frente. 
O garoto estava a procurando, e quando a achou sentada, e olhando com aquela expressão pensativa, teve que parar para admirá-la, ela era linda, e totalmente perfeita. Ele sabia muito bem que ela estava confusa com  tudo o que estava acontecendo, com o irmão indo para longe, o termino do namoro com o ex, a melhor amiga se transformando na pior inimiga... Era coisa demais, e mesmo assim ela não chorava, estava sendo forte, e isso para ele, era admirável.
-Oi - ele sussurrou sentando do lado dela e dando um sorriso fraco, a garota olhou para ele e sorriu, ele era o único que a ajudaria a se distrair naquele momento.
-Oi - ela respondeu sorrindo para ele, que piscou e sorriu, passando os braços em volta da cintura da garota e a envolvendo em seus braços.
-Como vão as coisas? - ele pediu sem saber o que falar, ela suspirou, e deu ombros, nos braços dele, parecia que nada mais importava.
-Melhores, estou me acostumando com a ideia de que meu irmão não vai mais estar aqui para me defender de idiotas que nem o meu ex namorado - ela respondeu sorrindo, e imediatamente fazendo o garoto sorrir junto. Os dois não percebiam, mas eram a combinação perfeita.
-E você como está? - o garoto perguntou olhando no fundo dos olhos dela, a garota suspirou e olhou para longe, desviando o olhar, e mordendo novamente o lábio.
-Não sei dizer, é tanta coisa acontecendo junto, e eu devia estar triste por ter terminado o namoro, mas estou  bem, eu deveria estar chorando, mas parece que meu coração está dizendo que não era para ser com ele, e sim com outra pessoa... - ela falou, terminando em um suspiro, e terminando meio vagamente, o garoto sentiu o peito arder de um ciúmes forte e possessivo em seu peito, ela estava livre, e já estavam na de outro, que com certeza iria magoá-la... Todos os garotos sempre a magoavam, assim como todas as garotas sempre o magoavam.
-E quem é a pessoa? - ele perguntou distraidamente, mas com um resquício de ciúmes na voz, que fez com que a garota segurasse um riso, e olhasse para o garoto com um sorriso de canto.
-Porque quer saber? - ela perguntou em um tom brincalhão e provocativo, o garoto suspirou, teria que falar, já perdera tempo demais sendo um idiota, para arriscar perde-la para sempre daquela vez.
-Só quero saber quem é o próximo que irá te tratar mal, fazer tudo errado, e magoar seu coração, para saber  quem será que eu vou dar um soco quando isso acontecer. Eu quero saber porque nenhum deles sabe nada sobre você, e nem se dá o luxo de saber, eles não seguram sua mão do jeito certo, não te abraçam do jeito que você gosta, não te fazem arrepio, não mexem no seu cabelo, não deixam você ir no cinema assistir os filmes de ação, porque pensam que você igual a todas as outras meninas preferem aqueles romances que você considera sem sal. Eu quero saber se a pessoa que vai ter você, vai te amar, do jeito que eu amo - ele falou olhando sério para a garota, que deu um sorriso, e aproximou seu rosto do dele, forçando-o a olhar para seus olhos.
-Pode ter certeza que ele vai saber fazer tudo isso que você sabe fazer, e que vai me amar do jeito que te ama - a garota falou dando uma risadinha misteriosa, e o garoto a olhou curioso, e com ciúmes.
-A é? Duvido, mas quem é ele? - o garoto perguntou olhando para a garota que deu um sorrisinho, e piscou para ele.
-Você - ela respondeu, e fez o garoto começar a rir, e a puxar para um beijo apaixonado, e que os dois ansiavam havia muito tempo.

sábado, 13 de agosto de 2011

"O mesmo sorriso..."

Uma música lenta tocava no ambiente daquela pequena padaria, que escondida espremida entre dois grandes prédios, pareciam padarias de filmes. A padaria tinha seu charme, em um estilo clássico e confortável, que atraia um público mais velho por ser um ambiente mais calmo e alheio a correria daquela cidade. 
Uma garota entrou com lágrimas nos olhos na padaria, precisava dar um tempo das coisas que aconteciam a sua volta, ela suspirou, sentando em uma mesa no canto, do lado de uma parede, onde estaria escondida, e poderia pensar em paz.
-A senhorita deseja alguma coisa? - um rapaz talvez da mesma idade que ela, ou um pouco mais velho perguntou, olhando para a garota, que suspirou e olhou para o cardápio a sua frente.
-O tipo de coisa que eu preciso não está nesse cardápio - ela sussurrou fazendo o jovem olhar para a bela garota a sua frente e suspirar. 
-Talvez não nesse cardápio, mas a resposta pode estar em você - o garoto comentou olhando para ela - Não sei o que está passando, mas saiba que é linda demais para chorar por alguém que não a merece.
-E como sabe por quem eu choro não é alguém que mereça as minhas lágrimas? - o rapaz havia visto a briga entre a garota e provavelmente o namorado dela, mas não comentou nada, apenas segurou a mão da garota, fazendo com que ela olhasse em seus olhos. 
-Porque se ele realmente te merecesse, essas lágrimas não estariam sendo derramadas nesse exato momento - a garota o olhou confusa, e mordeu o lábio inferior, ele retirou a mão de cima da dela, e deu um leve sorriso - Então, deseja alguma coisa?
-Um café preto por favor - a garota respondeu ainda confusa pelo gesto do garoto, mas com um leve sorriso nos lábios, o mesmo sorriso que a acompanhou quando subiu ao altar com um certo rapaz, que passou a ir na padaria apenas para vê-lo, o mesmo sorriso que a acompanhou quando teve seus filhos, e o mesmo sorriso que deu ao morrer, o mesmo sorriso que durante toda a sua vida nunca mais abandonou o seu rosto, pois aquele menino nunca a fizera chorar, e quando ela chorou, ele estava lá limpando suas lágrimas e colocando aquele mesmo sorriso novamente em seu rosto.

Por B. 

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Resenha: A garota da Capa Vermelha.



Autores: Sarah Blakey-Cartwrigth e David Leslie Johnson

Sinopse:
O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne
mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz.
Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem maldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles – o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada?
A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico Conto de Fadas; nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.




Quando eu comecei a ler A Garota da Capa Vermelha, eu achei a história um pouco, ou melhor super confusa, e pensei que ia ser mais um romance totalmente sem sal, e aí eu cheguei na segunda parte, e não consegui mais largar o livro. A autora conseguiu trabalhar a dúvida de quem seria o lobo, e tudo o mais, acabando o livro em um certo mistério, e o capítulo bônus disponível no site da editora, foi realmente surpreendente. 
    Eu ainda não assisti o filme, mas o livro foi bom, não foi excelente, e nem contou com tantas aventuras assim, as cenas de ação foram descritas de uma maneira mais sombria, mostrando mais o sentimento dos personagens do que a batalha em si, deixando a desejar para quem gosta das cenas de ação, particularmente achei que poderia ter sido mais trabalhado isso no livro, e o romance de Valerie e Peter também ser um pouco mais trabalhado, já que ele começou do nada, e ficou super confuso. 
  Sobre o resto, gostei de como retrataram Valerie, uma garota que não seguia padrões, e era uma guerreira, apesar de que ficou realmente estranha a parte que ela aceitou o noivado com Henry tão facilmente, e duvidou de Peter, e também não gostei muito do jeito que ela ficava perto de Peter, como uma garota indefesa. 
  A linguagem do livro tende a ser monótona e confusa de vez em quando, mas devo admitir que o enredo da história foi bem explorado, e deu uma nova visão, até um pouco mais sombria do conto "Chapeuzinho Vermelho".  Gostei do livro, mas achei que ele poderia ter ficado melhor, deixando a desejar em várias partes, estou ansiosa para ver o filme, e acho que os que gostam de romances no estilo de "Crepúsculo",  irão gostar do livro.



Foi mais uma tentativa de uma resenha, e aí o que acharam? 
beijinhos ;* 
Bibi.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Sinto-me isolada em um mundo em que não me entendem, sinto-me perdida em atitudes que me acusam de ter, mas que não passam de coisas bobas, bem menores do que fizeram comigo. Sinto-me destruída por dentro, traída e destroçada, sinto como se o sol tivesse se posto para nunca mais retornar.
As lágrimas teimam em rolar em meu rosto, mas as detenho, antes que caiam de meus olhos, se elas rolarem, então tudo estará perdido, tudo o que sinto estará totalmente destroçado e a minha esperança terá ido ao seu limite. 
Tudo aquilo que escrevi para vocês, tudo aquilo que eu falei, todas as coisas que eu fazia para mostrar tudo o que eu sentia, tudo o que eu sinto, parecem gestos tolos, que nunca foram apreciados, gestos que foram esquecidos, por um ciúme estúpido, e que agora me corroí por dentro.
Meu coração pesa, e a minha vida parece estar perdendo o rumo, não entendo o porque novamente vocês fizeram isso, eu sempre confiei em vocês, as tratei como irmãs, mas será que era tão difícil me tratar do mesmo jeito?


Por B.

Resenha do livro: O Herói Perdido.

Sinopse: Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia. Uma mensagem que pode se referir a qualquer um deles: 
"Sete meios-sangues responderão ao chamado. Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado. Um juramento a manter com um alento final, E inimigos com armas às Portas da Morte afinal."
 Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes — semideuses dos quais todos já ouvimos falar... e muito.




O livro o Herói Perdido, é tipo uma continuação da Saga Percy Jacskon. Ele é bem interessante, e quando você começa a ler você não quer mais largar o livro. Riordan te prende na leitura assim como nos outros livros de Percy Jackson.
Em O Herói Perdido, que é o primeiro livro das Saga: Os Hérois do Olimpo, tudo começa com um garoto, acordando em um ônibus escolar, de mãos dadas com uma garota que ele não conhece, que se chama Piper, e um garoto que diz ser seu melhor amigo que se chama Leo. Esse garoto se chama Jason, e ele não lembra de quem ele é. E então a trama começa a se desenrolar por aí.
Os três chegam ao acampamento meio sangue, após uma batalha contra seres do vento, que ocorreu no Grand Canyon, e aí tudo fica meio confuso, e você quer terminar de ler rápido para entender o que está acontecendo. 
No desenrolar da história, você vai começar a ficar boquiaberto como Riordan conseguiu fazer tanta ligação entre as histórias, e com certeza vai ter entendido tudo até o final, mas quando ler a última frase, vai ficar tão boquiaberto quanto eu.
O livro tem aventura do início ao fim, e como se percebe a história não gira em torno de Percy, que se encontra desaparecido, sem contar que Rick Riordan coloca elementos no meio do livro para você ir desvendando os mistérios, e entendo tudo, quando você vê, já está no fim do livro, e tem muito mistério ainda, mas você já fez a ligação das coisas que os personagens demoraram um pouquinho para entender. É um bom livro para os fãs da saga e também para quem curte aventuras, com um pouquinho de romance.
O livro é maravilhoso, e dentro do universo Percy Jacskon, ele é um dos melhores, porque os personagens são mais velhos, e também porque é retratado em vários pontos de vista, não só no do personagem principal. Sinceramente eu amei, e  recomendo o livro, assim como todos da saga.
Vale muito a pena ler, e eu estou super ansiosa para ler a continuação! 






Espero que tenham gostado da minha resenha.
Fica a dica de leitura (;
Beijinhos ;*
Bibi.

sábado, 30 de julho de 2011

...............


Eu suspiro, e sorrio, novamente, dizendo que tudo está bem, mas sei que não está, meu coração bate acelerado, e eu estou com tanto medo! Minhas mãos estão soadas, e eu estava prestes a começar a roer as unhas. 
-Calma, vai dar tudo certo - eu escuto elas falarem isso para mim, e então meu sorriso é verdadeiro, minhas melhores amigas estavam ali comigo, é claro que iria dar certo - Nós acreditamos em você - eu sorrio e as abraço, estou prestes a dar o maior passo da minha vida, e elas estavam ali.
-Eu sei disso, vocês estão aqui nada poderia ser mais perfeito - nós três sorrimos uma para as outras, lembrando de tudo o que passamos juntas, das fofocas e das risadas, seremos separadas em breve, mas estaremos sempre juntas.
-Então esse é o fim? - uma delas pergunta, e nós três nos olhamos, iríamos pegar o diploma de formatura, dando o maior passo de nossas vidas, e depois, iríamos embora, eu sorri para as duas, não aquele não era o fim, poderíamos nos separar, mas sempre estaríamos juntas.
-Não, esse é só o começo das nossas carreiras, e mesmo estando longe, nós sempre estaremos juntas. Seremos pessoas grandiosas, e nunca esqueceremos a nossa amizade - eu falei sorrindo, e ouvi chamarem o meu nome, nós três sorríamos, e apesar de estarmos felizes, estávamos ansiosas - Tudo vai dar certo - eu repeti para elas, e fui em direção ao palco, em direção ao meu futuro, em direção a minha vida, tendo a certeza que no meu caminho, apesar de longe, eu sempre poderia contar com elas, as minhas melhores amigas.

Por B.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Quebre o hábito, seja você mesma (mo).


Não o problema não são as suas roupas, e nem o seu cabelo, o problema não são as suas atitudes, ou o que você gosta, o problema são eles. Você se esforça para ser o que eles são, mas se esquece que é melhor do que eles. 
Viva a sua vida, como você acha certo, creia no que você quiser, siga regras justas, mas nunca, nunca, tente agradar a pessoas que não merecem a sua importância.
Lembre-se que você é você, eles são eles, e cá entre nós garota(to) nós somos muito melhores do que pessoas que se esforçam para seguir padrões da sociedade. Enquanto eles se esforçam para serem mil coisas, as coisas para você acontecem, e é isso que eles tem inveja. 
Não se importe, porque eles talvez nem liguem para você, aprenda antes de ser tarde, que sendo você, terá poucos amigos, mas amigos que assim como você dará a vida por eles, eles farão o mesmo por você. 
Acredite no poder que você tem, porque, ser único, é ser especial, e ser especial é ser alguém que nessa sociedade terá uma grande importância no futuro. 
Viva a diferença! Jogue fora suas máscaras! Quebre o hábito, seja você mesma (mo).

Por B.

domingo, 26 de junho de 2011

É, a razão é você.

Sabe qual é a razão de que em um dia normal, tudo comece a parecer mágico, e eu fique vermelha que nem um pimentão?
Sabe qual é a maldita razão de eu perder o fôlego, e as palavras fugirem da minha mente?
Sabe qual é a maldita razão para que todo dia eu só peço que pelo menos um dia, essa razão perceba que eu existo?
É a razão é você, e agora que sabe disso, não quebre o meu coração, porque ele é precioso, e vingativo.


Por B.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

...



Aquele sorriso que lhe dei hoje de manhã, foi um sorriso falso, eu não tinha pelo que sorrir, e não sentia felicidade dentro de mim. Tristezas, e confusões, passavam pela minha mente, mas ninguém pareceu perceber. Todos se contentavam com a sua hipocrisia barata, de fingir que acha que estou bem, e que eu não preciso de ninguém, que sou forte, e um abraço para mim é indiferente.
Mas quantas vezes eu precisei de um abraço que me acalmasse? De um ombro amigo que me escutasse? Quantas vezes eu precisei, das pessoas que eu não hesitaria em ajudar, mas elas nunca estavam lá. 
Cansei de esperar, que as pessoas tomem jeito, e que se importem com o meu sentimento, cansei de esperar que alguém venha me ajudar. Eu só podia mudar por mim mesma, mas eu precisava de vocês.
Quantas vezes, no escuro da noite, abafei meu choro, e escondi os olhos inchados com maquiagem de manhã? Quantas vezes eu vi aquelas risadas falsas de pessoas que eu não podia nem contar? Quantas vezes esperei que meus amigos pudessem me ajudar?
Eu queria contar, o meu segredo à vocês, mas nunca consegui contar, e foi melhor assim. Resolvi problemas sozinhas, mas acabei me sufocando. Tanta falsidade, quase me mataram, tive que me afastar. 
Naquele dia que resolvi mudar, saí correndo, e não sabia onde me encontrar, foi quando entrei na minha mente, e consegui sorrir, queria que vocês soubessem o quanto eu sou grata por terem duvidado, por terem dito que era impossível, e que eu não prestava.
Agora é a hora de voltar por cima, mostrar que meus sorrisos eram lágrimas, e eu sei quem me ajudou. Eu sei quem as me fez derramas cada gota do que chorei, e sei também, quem tentou limpar as lágrimas, e tirar as marcas que elas deixavam no meu rosto. 
Hoje me encontrei, e posso sorrir, mas a minha falsidade com vocês, é a mesma que tinham há tanto tempo, só que agora eu não conto mais com vocês, eu sei que nesse mundo hostil, de falsos amigos, e belos inimigos, só posso confiar em pessoas que tenham o mesmo sentimento por mim.
Quanto tempo sofri? Não importa mais, agora eu vou sorrir sem dor, chamar todos os olhares e dizer para todos que não acreditaram "Eu estou aqui, eu cheguei onde você nunca acreditou que eu chegaria, e que nunca chegará pela sua falsidade e hipocrisia".

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Perdão na tempestade...



























Eles estavam abraçados, tentavam se proteger da chuva e se esquentar, a caverna estava molhada, e de lá, se ouvia o som do mar que estava em fúria.
-Você está com medo? - ela perguntou o olhando com um pouco de receio, ele era o cara mais popular do colégio, ele nunca tinha medo, eles nem deveriam estar ali, só estavam abraçados para que o frio fosse embora. Ela era a menina maluca, a menina que nunca deveria falar com pessoas como ele, não os odiava, simplesmente fingia que eles não existiam, assim como eles faziam isso com ela, porque ambos os dois lados sabiam que se falassem alguma coisa, eles brigariam feio. Eles já tinham sido amigos, mas isso tinha sido há muito tempo.
-Sim... - ele murmurou sendo sincero não só com ela, mas consigo mesmo. Ela estava com a perna cortada, e ele sentia ela tremendo de frio em seus braços, ela estava com febre. E pela primeira vez em muito tempo, ele estava se importando com alguém além de si mesmo.
-Mas você nunca tem medo - ela falou o olhando um pouco assustada, e começando a sentir medo, e de um modo irônico ele sorriu. O destino realmente queria alguma coisa deles, era improvável as chances dos dois acabarem presos em uma caverna, e dele estar se importando com ela, agindo de um modo que ele nunca havia agido com nenhuma outra garota. Apenas com ela, mas isso tinha sido antes dele se tornar popular.
-Mas eu estou com medo - ele falou em resposta, virando o rosto dela para perto do seu.
-Medo do que? - ela perguntou, olhando para ele em seus olhos, ele a segurou mais firme, e tentou passar segurança.
-De não conseguir salvar você - ele murmurou no ouvido dela, fazendo com que uma segurança vinda de algum lugar distante, retornasse a garota. Ele havia esquecido de como os olhos dela, eram brilhantes, e seu sorriso especial. Ele havia esquecido que era ela que ele amava até estar naquele perigo. Ela não sabia o que sentir, seu coração batia acelerado, e suas pernas bambas sempre que o via, mas sabia que nunca teria futuro, e que ele era um idiota. Mas ali, ela via nos olhos dele, que ele era bom, corajoso, e que merecia amor, e confiança. E ela via, tudo o que eles tinham passado juntos há tanto tempo atrás.
- Mas não precisa ter medo, você não vai me perder - ela sussurrou fraca pra ele, mas com um sorriso intenso, que o fez sorrir sem pensar duas vezes, ele precisava dela acordada, e precisava que alguém viesse os salvar.
-Você promete que vai ficar bem? - ele pediu em um sussurro preocupado, ela suspirou e assentiu. Os dois começaram a conversar sobre algumas coisas irrelevantes, o tempo ia passando, e o frio ia aumentando, a garota estava cada vez mais fraca, o garoto podia sentir, ela cada vez mais fria, em seus braços.
-Eu prometi ficar bem, mas eu não estou mais aguentando - ela sussurrou fraquinho, ele a puxou para mais perto de si, ele não podia perder aquela garota, só ela conseguira fazer com que ele fosse, quem ele era, e que ele se sentisse muito bem, em muito tempo. Ele precisava dela, e agora ele sabia disso.
-Calma, vai dar tudo certo, aguenta firme meu amor, e tenha fé - ele sussurrou, ela piscou forte e o olhou um pouco confusa, ele havia realmente a chamado de "amor"? Ele sorriu, vendo que pensaram alto demais, mas não adiantava mais mentir, em menos de duas horas, naquela situação a beira da morte, ele havia se apaixonado por aquela garota.
-Do que você me chamou? - a garota perguntou com um sorriso tímido nos lábios, o garoto sorriu e aproximou o rosto dos dois, fazendo que tanto o coração dela, quanto o dele, aumentassem o ritmo de seu batimento.
-De meu amor - ele respondeu - Eu preciso de você, por favor, não me deixe, eu descobri que te amo, e descobri que por ser um idiota, eu abandonei uma pessoa maravilhosa - as palavras que ela nunca imaginava que pudessem sair daqueles lábios haviam agora sido pronunciadas, ela arfou, e sorriu - Você me desculpa por tudo o que eu fiz? Por te ignorar e nunca te defender?
-Eu queria entender, antes de tudo porque você fez tudo aquilo? Porque me abandonou sozinha, sem amigos, naquele colégio novo? - o que ele responderia? Tinha motivos? Não, ele nunca teve, mas ela foi corajosa e superou tudo, fez novos amigos, e enfrentou os que achavam que mandavam no colégio. Ele queria ser popular, e queria entrar em um universo que não combinava com a sua personalidade, ele não queria pisar nos outros e nem nada disso, mas havia se iludido, e tinha abandonado a unica garota que ele amou.
-Eu fiz, porque sou um idiota, eu só quero me redimir e ser uma pessoa melhor. Eu te amo, e só agora eu sei disso, é tarde demais, eu sei - ele murmurou, e ouviu um riso melodioso vindo de sua destemida, apesar de fraco, era o mesmo riso que ele se lembrava.
-Eu te perdoo se você prometer, nunca mais fazer de novo, e nunca mais esquecer de quem realmente você é - o que ela disse foi uma nova luz no coração do garoto, que sorriu, e a abraçou mais ainda, ela retribuiu.
-Eu te amo - ele sussurrou verdadeiramente, a garota ouviu novamente as três palavras que sempre quis ouvir, e sentiu seu coração bater em um compasso diferente, totalmente ritmado, e rápido.
-Eu te amo, também - ela respondeu, e o garoto a puxou para um beijo, que ela tanto esperara, e que ele estava desejando desde que se tocou que nunca amou nenhuma garota, porque a sua garota, sempre esteve ao seu lado, e ele a abandonou, mas agora, eles estavam juntos.
Os dois mal notaram, que naquele momento as equipes de resgate estavam chegando, e em poucos minutos, eles estariam socorridos e em casa. Eles ficariam bem, e mal sabiam eles, sobre tudo o que iria acontecer, mas de uma coisa, durante aquele beijo eles sabiam, que o amor, supera o tempo, e barreiras, que um verdadeiro amor, não se perde, ou se some, ele permanece lá guardado por toda a eternidade.

Por B.

terça-feira, 31 de maio de 2011

...


























Novos ciclos começam, quando outros terminam. Temos que sempre estarmos abertos para as coisas novas. Temos que entender, que toda a coisa tem seu tempo, e que todos nós temos oportunidades.
Às vezes, parece que aquela coisa não deveria acabar, mas a verdade é que está na hora de você seguir em novos caminhos, escolher novos rumos, e sempre levar com você tudo o que foi vivido, cada experiência,  sorriso, lição. Tudo isso deve estar guardado dentro do seu coração, para que sempre te guie a novos caminhos iluminados.
Hoje um ciclo terminou, mas eu sei que há muitas coisas para mim, e que agora, elas vão se abrir, há novos caminhos, novas decisões, é um novo ciclo, é um novo dia.
Muitas vezes nos apegamos no passado, mas não vivemos dele, temos que erguer a cabeça, sorrir, e deixar fluir, porque é isso que precisamos.
Um passo de cada vez, nesse longo caminho, que agora trilharemos, o aprendizado foi dado, e é hora de vivermos, ainda temos muito o que aprender, mas o que foi aprendido aqui, nunca esqueceremos.
Você que está lendo pode não entender, mas eu sei que as pessoas que precisam entender, vão saber, e a você leitor, quero que fique a seguinte mensagem:
O que nós vivemos, aprendemos e amamos, estará eternamente vivo em nossa mente, e em nosso coração, não tenha medo de seguir em frente, mas nunca esqueça, não se apaga o passado, se aprende com ele, e é por isso que precisamos saber, que temos inúmeros caminhos para percorrer, temos que fazer o certo, sorrir sempre, acreditar naquilo que podemos acreditar, para que no fim, nós pensemos, sim valeu a pena.
Valeu a pena tudo o que vivi, e agora, um novo caminho se abre, cheio de bifurcações, mas eu sei que eu vou conseguir trilhar, e chegar até o fim, porque tudo que aprendo está no meu coração, e eu não tenho medo do futuro, nem do novo, porque eu sei, que tem algo muito incrível, esperando a mim, e a todos que souberem o que devem fazer.
Espalhe a esperança, e o amor, sorria, e não tenha medo do fim, porque ele sempre é o começo de algo novo.


Por B.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Acredite no AMOR...

Um dia eu acredito que o mundo estará em paz, que o ser humano terá aprendido a respeitar o que chamamos de AMOR, mas que eles tenham descoberto o verdadeiro sentindo que ele tem. Não que chamem uma bobagem de AMOR sendo que é paixão, ou simples admiração.
Que os jovens, aprendam que o AMOR por todas as coisas, é a unica coisa que pode nos salvar, e que nós trará esperança para que amanhã, você levante da cama, abra seus olhos, e diga que hoje será diferente, você verá todas as criaturas do planeta, como uma só, você não será apenas o humano que é o ser mais racional, você verá como nos animais mais perigosos, existe o AMOR. Tomará por exemplo o Leão, que cuida dos seus filhotes, até eles terem condições de se virarem, e não é isso que o ser humano faz com o seus filhos?
Somos racionais, e temos sorte, por sermos mais desenvolvidos, mas será que realmente somos tudo aquilo? Temos a capacidade de AMAR incodicionalmente, e de transformar tudo em arte, em beleza, e naquilo que é o mais necessário para o mundo ficar bem. Mas nós fazemos isso? E se fazemos, não compreendemos o porque os outros não fazem.
O que eu quero dizer, é que hoje eu acordei, e vi o mundo de um jeito peculiar e diferente, e eu sabia que era o planeta pedindo socorro, pedindo pra que nós seres humanos, aproveitemos cada instante, com PAZ, AMOR incondicional, mas não um amor onde não há amor, o que chamam de amor, não é esse AMOR, esse AMOR, é o amor que temos sobre a vida, e sobre todo o nosso planeta, é o amor, que habita todo coração de todo ser humano, mas que poucas acreditam nesse amor. Eu acredito, muitos acreditam, mas e você acredita?
Porque se você não acreditar, creia meu amigo, você não estará vivendo realmente. Há pessoas que apesar de terem o mundo desabando a sua volta, acreditam com fervor nesse AMOR, e encontram forças pra erguer tudo o que foi completamente destroçado. Eu seria a primeira a estender a mão, pra ajudar alguém porque eu tenho fé, e tenho esperança, mas o mais importante eu tenho AMOR.
Eu ainda acredito, com todas as minhas forças que um dia todos nós iremos acordar, todos, e então, salvaremos o mundo, com o nosso AMOR, mas se isso não acontecer, e eu estou começando a perder as esperanças, quando vocês, jovens de hoje em dia acordarem, tudo estará em ruínas.
Eu sou jovem, e me sinto envergonhada com tanta hipocrisia vinda de pessoas que se importam qual será o próximo na lista de quem você irá beijar, eu me sinto vergonhosamente decepcionada. Eu tenho Fé, mas se não mudarem de atitude, a minha fé, não bastará sozinha. Todos nós temos que entrar nessa mesma sintonia, e mesmo que aqueles que não tem o coração igual ao nosso, se não entrarem, não poderão impedir, porque a minha, a sua fé, a nossa fé. Salva o mundo. 
Tenha fé, acredite no AMOR, e faça acontecer, porque só as nossas atitudes poderão salvar o nosso mundo de um futuro terrível.


Por B.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Lembre-se

Lembre-se que tudo o que fazemos na vida estará para sempre marcado, nós nunca esqueceremos.
Lembre-se dos tempos em que você vivia em um mundo de alegrias, onde o mundo parecia menos frio e cruel.
Lembre-se que você tem o poder de escolha, que você pode mudar o mundo para o bem, que você pode construir um mundo de PAZ.
Lembre-se de que as lágrimas derramadas valeram a pena, todas as elas foram corajosas, pois assumiram 
verdadeiramente o que sentiam.
Lembre-se de que o AMOR incondicional nunca passará...
Lembre-se de ser uma pessoa justa e sensata...
Lembre-se que hoje ao levantar da cama, você vai ignorar todas as ofensas, passar por ELE que te magoou, como se nada tivesse acontecido.
Lembre-se de que HOJE é um novo dia!
Lembre-se de ter fé e fazer o que é certo!
Lembre-se dessas coisas e tudo ficará bem!
Lembre-se que mesmo sem você saber alguém, em algum lugar, está  torcendo por você, que alguém em algum lugar acredita em você. Só basta você acreditar em si mesma!
Lembre-se acredite em si mesma, acredite que você pode, porque você pode sim, seja confiante, e conquiste o mundo com as suas ideias.
E lembre-se, de se lembrar de tudo o que viveu, e de tudo o que ama, e o que realmente importa.
Simplesmente Lebre-se.


Por B.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Em um café esperando a chuva passar...



A música toca triste e solitária ao fundo, estou sozinha, e contemplo a tempestade que está caindo lá fora. Suspiro, teria que esperar por um tempo, até conseguir voltar pra casa.
Estou em um típico café, lembrando de quantas vezes eu havia passado por ali, sem perceber esse pequeno, mas delicioso café, parecido com um singelo café em Paris que há muito eu havia visitado.
-Um chocolate quente - peço para a moça, que me atende com um sorriso no rosto, retribuo o sorriso, não são muitos os que te atendem com um sorriso no meio de uma tempestade chata.
Suspiro entediada olhando para fora. Meu chocolate quente chega, e assim que me preparo para tomar o primeiro gole, vejo um rosto diferente, vejo um par de olhos em mim, que sorri como se tivesse visto algo bonito em mim.
Em uma fração de segundos lembro de tudo que já passei, o quanto me magoei, mas eu sorrio em resposta, não posso saber o que vai acontecer se eu não deixar rolar, certo?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Hoje...

Hoje eu vou sair, vou levar só minha mochila com algumas mudas de roupas, nós pés eu vou com meu all star rasgado, na mão meu skate, e no meu coração o desejo de ser feliz.
Hoje é o dia em que eu vou ser como eu sou, sem me importar com o que pensem, hoje eu vou tratar todos como meus irmãos, vou cantar alto, correr na calçada, me equilibrar em cima de um muro, ralar meu joelho, escalar uma árvore, sujar minha roupa, deixar meu cabelo bagunçado, minha maquiagem borrada, eu vou retirar todas ás mascáras. Eu vou dançar na chuva até perder ás forças.
Hoje eu vou amar você até o fim, vou rir até chorar, vou sorrir até meu rosto doer, vou chorar por tudo, me emocionar e viver a vida.
Hoje eu vou deitar na grama, olhar as estrelas e a lua, escutando alguama música de rock'n roll, e vou dormir, pensando em como eu sou feliz.
Amanhã? Bem, amanhã eu não sei, está muito longe, mas de uma coisa eu tenho certeza, eu vou viver intensamente, da maneira que me fizer feliz, eu vou me apaixonar, vou me desencantar, vou rir, vou chorar, vou dançar, vou cantar, vou escrever, vou sorrir, vou ficar triste, vou subir em um muro, sem medo de ser feliz.
Eu vivo todo dia, eu vivo cada hora, eu vivo cada minuto, eu vivo cada segundo, eu vivo cada milésimo, sem ter medo de errar, mas sempre tentando acertar, e ajudar esse mundo.
Viva sem medo de ser feliz, viva livre, viva, e salve o nosso mundo dessa sociedade chata que tudo o que fazem, é para agradar os outros.
VIVA SEM TER MEDO DE SER FELIZ!

POR B.

"Eles riem de mim por ser diferente, eu rio deles por serem todos iguais" Bob Marley.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Em dias frios...

 As vezes, em dias frios, fecho meus olhos, e me pergunto, porque é tão difícil admitir o que sentimos pelos outros. Não era para ser algo fácil? Você chegaria para a pessoa e falaria "Eu gosto muito de você", e então você saberia se valeria a pena ou não. Mas isso não é tão simples, não é tão fácil na prática, do que na teoria.
Aí eu me pergunto, porque eu passeis noites em claro, aulas chatas, e horas e mais horas, pensando em nós dois? Se nem você teve coragem de admitir o que sentia por mim, e nem o que eu sentia por você? Será que por eu ser a garota na história, e ter medo de receber um não perdemos a nossa chance? 
Eu não posso ficar pensando em serás, porque eu não tive coragem de dizer que estava completamente apaixonada por você, e que ali, no fundo do meu peito, eu sei que eu ainda sinto algo por você.
Estou aqui completamente sozinha, sentindo o frio invadir o meu corpo, e a minha mente, e contenho minhas lágrimas, prometi que não poderia mais chorar por ninguém. Uma promessa que não sei se poderei cumprir.
Levanto de onde estou, ergo meus ombros, empino a cabeça, e penso "Dane-se, já perdi tempo demais esperando por você". Não vou tomar atitudes, mas também não vou mais chorar.
Eu sei que não adianta chorar por alguém que não me merece, e se me merece, vai precisar mostrar que gosta de mim. Assim como qualquer garoto, deve demonstrar que valoriza a menina que gosta, assim como devem ser capaz de não fazê-la sofrer, pela dúvida.
Mas então eu lhe pergunto depois de um discurso inflamado pelos meus sentimentos confusos, eu acho que ainda gosto de você, mas e você, o que sentes por mim?



Por B.