quarta-feira, 31 de agosto de 2011

  A vida parecia tão distante
Naquela fantasia que não teria fim 
Aquele problema entediante 
Estava longe de mim 

Eu não queria voltar, 
Tudo era um sonho, 
E não fazia sentindo ter que acordar.
E ter que voltar para aquele pesadelo real e medonho.

Eu queria ficar
E me afundar na fantasia 
Mas o real me chamava e dizia:
"Acorde e tente fazer a fantasia vir na sua realidade adentrar".

O sol invadiu meu quarto, e tive que acordar, 
O sonho se foi, mas a magia ficou, 
Suspirei, e soube que a realidade precisava com a fantasia se misturar 
E que como a voz me disse "Não deixe que esse sonhou seja mais um que você sonhou" 

Realidade 
Verdade
Fantasia 
Magia 

Era assim que eu viveria.
Meu sonho eu realizaria. 
Na minha vida eu acreditaria. 
E sabia que por onde eu caminharia, Alguém sempre me protegeria.


Por B.

(Meio sem sentido esse poema, mas em fim espero que tenham gostado =D )  


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Declaração...

A garota estava sentada, escondida de tudo e de todos, ela precisava pensar, e suspirou, as coisas estavam confusas, estranhas, e ela estava com tanto medo. Tirou seus cabelos do rosto, e mordeu o lábio, olhando para a paisagem a sua frente. 
O garoto estava a procurando, e quando a achou sentada, e olhando com aquela expressão pensativa, teve que parar para admirá-la, ela era linda, e totalmente perfeita. Ele sabia muito bem que ela estava confusa com  tudo o que estava acontecendo, com o irmão indo para longe, o termino do namoro com o ex, a melhor amiga se transformando na pior inimiga... Era coisa demais, e mesmo assim ela não chorava, estava sendo forte, e isso para ele, era admirável.
-Oi - ele sussurrou sentando do lado dela e dando um sorriso fraco, a garota olhou para ele e sorriu, ele era o único que a ajudaria a se distrair naquele momento.
-Oi - ela respondeu sorrindo para ele, que piscou e sorriu, passando os braços em volta da cintura da garota e a envolvendo em seus braços.
-Como vão as coisas? - ele pediu sem saber o que falar, ela suspirou, e deu ombros, nos braços dele, parecia que nada mais importava.
-Melhores, estou me acostumando com a ideia de que meu irmão não vai mais estar aqui para me defender de idiotas que nem o meu ex namorado - ela respondeu sorrindo, e imediatamente fazendo o garoto sorrir junto. Os dois não percebiam, mas eram a combinação perfeita.
-E você como está? - o garoto perguntou olhando no fundo dos olhos dela, a garota suspirou e olhou para longe, desviando o olhar, e mordendo novamente o lábio.
-Não sei dizer, é tanta coisa acontecendo junto, e eu devia estar triste por ter terminado o namoro, mas estou  bem, eu deveria estar chorando, mas parece que meu coração está dizendo que não era para ser com ele, e sim com outra pessoa... - ela falou, terminando em um suspiro, e terminando meio vagamente, o garoto sentiu o peito arder de um ciúmes forte e possessivo em seu peito, ela estava livre, e já estavam na de outro, que com certeza iria magoá-la... Todos os garotos sempre a magoavam, assim como todas as garotas sempre o magoavam.
-E quem é a pessoa? - ele perguntou distraidamente, mas com um resquício de ciúmes na voz, que fez com que a garota segurasse um riso, e olhasse para o garoto com um sorriso de canto.
-Porque quer saber? - ela perguntou em um tom brincalhão e provocativo, o garoto suspirou, teria que falar, já perdera tempo demais sendo um idiota, para arriscar perde-la para sempre daquela vez.
-Só quero saber quem é o próximo que irá te tratar mal, fazer tudo errado, e magoar seu coração, para saber  quem será que eu vou dar um soco quando isso acontecer. Eu quero saber porque nenhum deles sabe nada sobre você, e nem se dá o luxo de saber, eles não seguram sua mão do jeito certo, não te abraçam do jeito que você gosta, não te fazem arrepio, não mexem no seu cabelo, não deixam você ir no cinema assistir os filmes de ação, porque pensam que você igual a todas as outras meninas preferem aqueles romances que você considera sem sal. Eu quero saber se a pessoa que vai ter você, vai te amar, do jeito que eu amo - ele falou olhando sério para a garota, que deu um sorriso, e aproximou seu rosto do dele, forçando-o a olhar para seus olhos.
-Pode ter certeza que ele vai saber fazer tudo isso que você sabe fazer, e que vai me amar do jeito que te ama - a garota falou dando uma risadinha misteriosa, e o garoto a olhou curioso, e com ciúmes.
-A é? Duvido, mas quem é ele? - o garoto perguntou olhando para a garota que deu um sorrisinho, e piscou para ele.
-Você - ela respondeu, e fez o garoto começar a rir, e a puxar para um beijo apaixonado, e que os dois ansiavam havia muito tempo.

sábado, 13 de agosto de 2011

"O mesmo sorriso..."

Uma música lenta tocava no ambiente daquela pequena padaria, que escondida espremida entre dois grandes prédios, pareciam padarias de filmes. A padaria tinha seu charme, em um estilo clássico e confortável, que atraia um público mais velho por ser um ambiente mais calmo e alheio a correria daquela cidade. 
Uma garota entrou com lágrimas nos olhos na padaria, precisava dar um tempo das coisas que aconteciam a sua volta, ela suspirou, sentando em uma mesa no canto, do lado de uma parede, onde estaria escondida, e poderia pensar em paz.
-A senhorita deseja alguma coisa? - um rapaz talvez da mesma idade que ela, ou um pouco mais velho perguntou, olhando para a garota, que suspirou e olhou para o cardápio a sua frente.
-O tipo de coisa que eu preciso não está nesse cardápio - ela sussurrou fazendo o jovem olhar para a bela garota a sua frente e suspirar. 
-Talvez não nesse cardápio, mas a resposta pode estar em você - o garoto comentou olhando para ela - Não sei o que está passando, mas saiba que é linda demais para chorar por alguém que não a merece.
-E como sabe por quem eu choro não é alguém que mereça as minhas lágrimas? - o rapaz havia visto a briga entre a garota e provavelmente o namorado dela, mas não comentou nada, apenas segurou a mão da garota, fazendo com que ela olhasse em seus olhos. 
-Porque se ele realmente te merecesse, essas lágrimas não estariam sendo derramadas nesse exato momento - a garota o olhou confusa, e mordeu o lábio inferior, ele retirou a mão de cima da dela, e deu um leve sorriso - Então, deseja alguma coisa?
-Um café preto por favor - a garota respondeu ainda confusa pelo gesto do garoto, mas com um leve sorriso nos lábios, o mesmo sorriso que a acompanhou quando subiu ao altar com um certo rapaz, que passou a ir na padaria apenas para vê-lo, o mesmo sorriso que a acompanhou quando teve seus filhos, e o mesmo sorriso que deu ao morrer, o mesmo sorriso que durante toda a sua vida nunca mais abandonou o seu rosto, pois aquele menino nunca a fizera chorar, e quando ela chorou, ele estava lá limpando suas lágrimas e colocando aquele mesmo sorriso novamente em seu rosto.

Por B. 

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Resenha: A garota da Capa Vermelha.



Autores: Sarah Blakey-Cartwrigth e David Leslie Johnson

Sinopse:
O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne
mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz.
Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem maldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles – o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada?
A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico Conto de Fadas; nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.




Quando eu comecei a ler A Garota da Capa Vermelha, eu achei a história um pouco, ou melhor super confusa, e pensei que ia ser mais um romance totalmente sem sal, e aí eu cheguei na segunda parte, e não consegui mais largar o livro. A autora conseguiu trabalhar a dúvida de quem seria o lobo, e tudo o mais, acabando o livro em um certo mistério, e o capítulo bônus disponível no site da editora, foi realmente surpreendente. 
    Eu ainda não assisti o filme, mas o livro foi bom, não foi excelente, e nem contou com tantas aventuras assim, as cenas de ação foram descritas de uma maneira mais sombria, mostrando mais o sentimento dos personagens do que a batalha em si, deixando a desejar para quem gosta das cenas de ação, particularmente achei que poderia ter sido mais trabalhado isso no livro, e o romance de Valerie e Peter também ser um pouco mais trabalhado, já que ele começou do nada, e ficou super confuso. 
  Sobre o resto, gostei de como retrataram Valerie, uma garota que não seguia padrões, e era uma guerreira, apesar de que ficou realmente estranha a parte que ela aceitou o noivado com Henry tão facilmente, e duvidou de Peter, e também não gostei muito do jeito que ela ficava perto de Peter, como uma garota indefesa. 
  A linguagem do livro tende a ser monótona e confusa de vez em quando, mas devo admitir que o enredo da história foi bem explorado, e deu uma nova visão, até um pouco mais sombria do conto "Chapeuzinho Vermelho".  Gostei do livro, mas achei que ele poderia ter ficado melhor, deixando a desejar em várias partes, estou ansiosa para ver o filme, e acho que os que gostam de romances no estilo de "Crepúsculo",  irão gostar do livro.



Foi mais uma tentativa de uma resenha, e aí o que acharam? 
beijinhos ;* 
Bibi.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Sinto-me isolada em um mundo em que não me entendem, sinto-me perdida em atitudes que me acusam de ter, mas que não passam de coisas bobas, bem menores do que fizeram comigo. Sinto-me destruída por dentro, traída e destroçada, sinto como se o sol tivesse se posto para nunca mais retornar.
As lágrimas teimam em rolar em meu rosto, mas as detenho, antes que caiam de meus olhos, se elas rolarem, então tudo estará perdido, tudo o que sinto estará totalmente destroçado e a minha esperança terá ido ao seu limite. 
Tudo aquilo que escrevi para vocês, tudo aquilo que eu falei, todas as coisas que eu fazia para mostrar tudo o que eu sentia, tudo o que eu sinto, parecem gestos tolos, que nunca foram apreciados, gestos que foram esquecidos, por um ciúme estúpido, e que agora me corroí por dentro.
Meu coração pesa, e a minha vida parece estar perdendo o rumo, não entendo o porque novamente vocês fizeram isso, eu sempre confiei em vocês, as tratei como irmãs, mas será que era tão difícil me tratar do mesmo jeito?


Por B.

Resenha do livro: O Herói Perdido.

Sinopse: Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia. Uma mensagem que pode se referir a qualquer um deles: 
"Sete meios-sangues responderão ao chamado. Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado. Um juramento a manter com um alento final, E inimigos com armas às Portas da Morte afinal."
 Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes — semideuses dos quais todos já ouvimos falar... e muito.




O livro o Herói Perdido, é tipo uma continuação da Saga Percy Jacskon. Ele é bem interessante, e quando você começa a ler você não quer mais largar o livro. Riordan te prende na leitura assim como nos outros livros de Percy Jackson.
Em O Herói Perdido, que é o primeiro livro das Saga: Os Hérois do Olimpo, tudo começa com um garoto, acordando em um ônibus escolar, de mãos dadas com uma garota que ele não conhece, que se chama Piper, e um garoto que diz ser seu melhor amigo que se chama Leo. Esse garoto se chama Jason, e ele não lembra de quem ele é. E então a trama começa a se desenrolar por aí.
Os três chegam ao acampamento meio sangue, após uma batalha contra seres do vento, que ocorreu no Grand Canyon, e aí tudo fica meio confuso, e você quer terminar de ler rápido para entender o que está acontecendo. 
No desenrolar da história, você vai começar a ficar boquiaberto como Riordan conseguiu fazer tanta ligação entre as histórias, e com certeza vai ter entendido tudo até o final, mas quando ler a última frase, vai ficar tão boquiaberto quanto eu.
O livro tem aventura do início ao fim, e como se percebe a história não gira em torno de Percy, que se encontra desaparecido, sem contar que Rick Riordan coloca elementos no meio do livro para você ir desvendando os mistérios, e entendo tudo, quando você vê, já está no fim do livro, e tem muito mistério ainda, mas você já fez a ligação das coisas que os personagens demoraram um pouquinho para entender. É um bom livro para os fãs da saga e também para quem curte aventuras, com um pouquinho de romance.
O livro é maravilhoso, e dentro do universo Percy Jacskon, ele é um dos melhores, porque os personagens são mais velhos, e também porque é retratado em vários pontos de vista, não só no do personagem principal. Sinceramente eu amei, e  recomendo o livro, assim como todos da saga.
Vale muito a pena ler, e eu estou super ansiosa para ler a continuação! 






Espero que tenham gostado da minha resenha.
Fica a dica de leitura (;
Beijinhos ;*
Bibi.