Pular para o conteúdo principal

Resenha: A garota da Capa Vermelha.



Autores: Sarah Blakey-Cartwrigth e David Leslie Johnson

Sinopse:
O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne
mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz.
Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem maldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles – o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada?
A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico Conto de Fadas; nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.




Quando eu comecei a ler A Garota da Capa Vermelha, eu achei a história um pouco, ou melhor super confusa, e pensei que ia ser mais um romance totalmente sem sal, e aí eu cheguei na segunda parte, e não consegui mais largar o livro. A autora conseguiu trabalhar a dúvida de quem seria o lobo, e tudo o mais, acabando o livro em um certo mistério, e o capítulo bônus disponível no site da editora, foi realmente surpreendente. 
    Eu ainda não assisti o filme, mas o livro foi bom, não foi excelente, e nem contou com tantas aventuras assim, as cenas de ação foram descritas de uma maneira mais sombria, mostrando mais o sentimento dos personagens do que a batalha em si, deixando a desejar para quem gosta das cenas de ação, particularmente achei que poderia ter sido mais trabalhado isso no livro, e o romance de Valerie e Peter também ser um pouco mais trabalhado, já que ele começou do nada, e ficou super confuso. 
  Sobre o resto, gostei de como retrataram Valerie, uma garota que não seguia padrões, e era uma guerreira, apesar de que ficou realmente estranha a parte que ela aceitou o noivado com Henry tão facilmente, e duvidou de Peter, e também não gostei muito do jeito que ela ficava perto de Peter, como uma garota indefesa. 
  A linguagem do livro tende a ser monótona e confusa de vez em quando, mas devo admitir que o enredo da história foi bem explorado, e deu uma nova visão, até um pouco mais sombria do conto "Chapeuzinho Vermelho".  Gostei do livro, mas achei que ele poderia ter ficado melhor, deixando a desejar em várias partes, estou ansiosa para ver o filme, e acho que os que gostam de romances no estilo de "Crepúsculo",  irão gostar do livro.



Foi mais uma tentativa de uma resenha, e aí o que acharam? 
beijinhos ;* 
Bibi.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 conselhos de alguém com quase 20 anos

Oi, tem alguém aí? Em dez dias eu faço duas décadas de existência. E isso é muita coisa, ou pouca, depende do ponto de vista. Mas do meu ponto de vista é um bocado, que só me diz que tem mais um bocado pela frente (Graças a Deusa), e que já aprendi muito, e que ainda tem muito a aprender. Nesses últimos 19 anos eu aprendi muitas coisas, mas a principal é que essa vida só tem significado enquanto estamos aprendendo algo, que cada dia é uma lição e que enquanto você não aprender a lição que a vida quer lhe dar você vai continuar sendo colocada nas mesmas situações. Eu sei que a maioria das pessoas acredita que só aprendemos na prática, mas não acredito nisso porque já aprendi muito com conselhos dos outros ou ouvindo histórias dos outros e evitando repetir o mesmo erro, afinal, mesmo que não fosse comigo a situação era parecida e o resultado provavelmente seria o mesmo. Digo isso porque vou compartilhar 20 coisas que aprendi ao longo desses quase 20 anos e acho que podem ser muito út…

Resenha: O poeta do exílio.

e
Sinopse: Pedro e Júlia estavam animados. Sua banda era finalista do festival estudantil Vozes de Classe. O regulamento exigia que as músicas se inspirassem em poetas brasileiros. Cada banda interpretou essa exigência à sua maneira. Precisavam agora animar a torcida. Os jovens criam cartazes, lançam torpedos, folhetos etc. E precisam também reunir informações sobre Gonçalves Dias, o autor do poema que deu origem à música classificada. Então, Pedro teve a ideia de criar um blog especial. Nasceu assim o BlogDoDias. Ali cabia tudo o que se relacionasse a Gonçalves Dias: poemas, cartas, artigos de jornal, documentos da época do poeta... Enfim, o blog agitou a galera e acabou se transformando em um completo dossiê sobre o poeta. No meio de todo esse agito, Pedro e Júlia parece que estão...Ah, os poemas de amor de Gonçalves Dias...
Certo, hoje de manhã a linda da coordenadora do colégio apareceu com os livros que iremos ler esse trimestre, eu nem um pouco metida, já li o meu livro, primeiro …

Internet Ruim e Nescafé

A internet ruim é algo irritante. Só cai e mal funciona, causando um mau humor danado para quem usa, e digo mau humor para os controlados, porque para os impacientes explosivos (como eu) passam raiva e acabam por se irritar e descontar em quem estiver por perto.
                O problema da internet que não funciona como deveria, é que ela nos engana, nos ilude e nos usa, deixando-nos ainda mais na frente do computador, para que por algum motivo continuemos a passar nosso tempo passando raiva e o gastando em algo que por não funcionar como deveria, é quase como não fazer nada.                 E também é assim o nescafé, ele deveria ser café, mas não é. Não tem o mesmo gosto, e deveria ter, ou assim, você é iludido a pensar. Mas o gosto é diferente, e para alguém que aprecia o bom café, entende o que estou tentando falar (ou não, minha mãe ama café e também ama nescafé... Acho que a culpa disso é por ela ser de gêmeos... Não que eu acredite em signos...).                 E por que es…