Pular para o conteúdo principal

Você tem medo de avião?

Tumblr_m90gwgnmoy1qz4d4bo1_500_large



Eu respiro fundo e fecho os olhos, o avião está decolando e não acho muito legal a ideia dos meus pés estarem saindo do chão, e que eu estou dentro de uma coisa que pode cair. Na verdade a ideia de estar em um lugar a mais de dois metros do chão é algo totalmente perturbadora. 
-Está tudo bem? - uma aeromoça me pergunta, eu abro os olhos e dou um sorriso falto, tenho certeza que mais pareceu uma careta, mas a aeromoça engoliu ele. 
-Tá sim - respondo ainda com meu sorriso estranho, ela sorri como um robô e saí dali para atender ao pedido de uma velinha que está sentada algumas poltronas a frente na outra fila.
O avião é grande, é um daqueles voos internacionais, eu ainda não acredito que estou aqui, primeiro porque é um avião, e segundo pelos motivos que me levaram a estar aqui. Eu finalmente estou indo para Londres para passar algum tempo na Europa. Um pouco para me afastar de tudo que andava me sufocando, e outro tanto porque eu tenho uma oportunidade única lá. A oportunidade de finalmente escrever outro livro de sucesso.
-Você tem medo? - o rapaz que está do meu lado pergunta, interrompendo totalmente meus pensamentos e dando um sorriso bonito, ele está falando em português, mas tem um leve sotaque que eu diria ser italiano. 
-Do quê?  - levanto uma sobrancelha e ele sorri. 
-De avião - eu suspiro e faço uma careta. 
-Não é do avião que eu tenho medo, é da altura. 
-Da altura ou de cair dela?
-Um pouco dos dois - eu confesso  e ele sorri - Eu sei que estou super segura aqui e tudo o mais, mas  é.... é ... 
-Eu tenho medo também - ele confessa interrompendo o que seria um monologo cabuloso.
-Mas não parece! - não consigo não mostrar a minha surpresa, ele sorri  e dá de ombros . 
-Eu consigo controlar meu medo, simplesmente paro de pensar nele, sabe? 
-Eu costumo fazer isso, mas não dentro de aviões, dentro de elevadores, morro de medo deles - ele ri. 
-Normal, você já ficou presa em algum? 
-Quando eu era criança e ele quase caiu, por isso eu tenho medo de lugares altos ou fechados, sabe? - ele assente e começamos a conversar, conversamos sobre o tempo e como céu noturno está estrelado, ele conta que é brasileiro, mas viveu tempo demais na Itália e agora está indo morar em Londres. Ele não acredita quando conto que sou autora do livro que está no seu colo. 
-Claro que não pode ser, quer dizer pelo que parece você tá fugindo do Brasil, e duvido que essa autora faria isso!  - eu tiro minha carteira de identidade e mostro para ele. 
-Eu não estou fugindo, só estou querendo novos ares - sorrio, e ele dá uma risada um tanto quanto bonita. 
-Novos ares... Eu também disse isso quando  decidi voltar para a Europa, mas na verdade foi porque minha família estava me sufocando.Acho que não sou tudo aquilo que eles pensam, então comprei esse livro - ele aponta para a edição final do meu livro, que está linda, mas eu não presto atenção nela, fico vidrada em nos olhos sedutores dele - E  "fugi". 
-Você só não precisa de pessoas cobrando sua perfeição 24 horas por dia, não considere isso como uma fuga, e sim como... - eu perco minha linha de raciocínio ao ver que ele presta atenção em cada palavra minha e parece admirar meu rosto. 
-Como?
-Como... uma nova experiência, um jeito deles se tocarem do que estão fazendo e de você aproveitar um pouco mais, quer dizer você está indo para Londres! Tem alguma coisa mais legal que isso?
-Tem - ele sorri, mas não diz o que é - Mas concordo com seu argumento, apesar dele não mudar os fatos. 
-Dane-se, é um argumento bom  - ele ri e voltamos a conversar. O avião pousa suavemente e descemos juntos, acho que os dois estamos sem rumo e sem lugar para morar... Tenho certeza disso quando ele pede se conheço algum hotel por aqui.
-Minha    madrinha disse que esse aqui é bom - falo o nome do hotel que eu vou ficar - E ele sempre tem vagas. 
-Vai ficar lá também?
-Até comprar alguma coisa por aqui ou percorrer a Europa inteira, sim - eu dou de ombros e ele me ajuda a pegar as malas. Dividimos o táxi, e apesar de estarmos em silêncio sei que nossos olhos estão admirando a mesma coisa. O belo cenário que é Londres e um ao outro.
Eu desço do táxi e teno pegar minha mala, mas tropeço e teria caído se ele não tivesse me segurado, eu fico rindo disso até entrarmos no hotel e aguardarmos liberarem quartos. E quando dizem que já podemos subir, a moça da recepção diz que nosso quarto é um na frente do outro, uma coincidência enorme. 
Não sei o que esperar de um garoto com sotaque italiano,  então não espero nada, como sempre faço só observo, viro a narradora de meus movimentos e dos seus esquecendo de pensar em algo. E é quando chegamos na frente de nossos quartos, trocamos telefones e e-mail  na recepção, então quando ele vira para  me falar algo penso que é para pedir que eu autografe seu livro.  Mas não é isso que ele faz. 
-Já que estamos aqui pelo mesmo motivo , poderíamos conhecer Londres juntos o que acha? - ele sorri, e eu dou um sorriso enorme e verdadeiro com a proposta sentindo meu coração dar um salto. 
-Claro - ele sorri com a resposta e se aproxima lentamente de mim, paro de prestar atenção em tudo a minha volta e apenas olho para ele . 
-Não me bata por isso - ele sussurra  puxando-me gentilmente para um beijo ao qual eu correspondi.
Era o beijo do meu futuro marido, mesmo eu não sabendo daquilo ainda, e o beijo que me faria começar a escrever  a melhor história de amor de todos os tempo, ou talvez só meu segundo livro que seria um grande sucesso. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 conselhos de alguém com quase 20 anos

Oi, tem alguém aí? Em dez dias eu faço duas décadas de existência. E isso é muita coisa, ou pouca, depende do ponto de vista. Mas do meu ponto de vista é um bocado, que só me diz que tem mais um bocado pela frente (Graças a Deusa), e que já aprendi muito, e que ainda tem muito a aprender. Nesses últimos 19 anos eu aprendi muitas coisas, mas a principal é que essa vida só tem significado enquanto estamos aprendendo algo, que cada dia é uma lição e que enquanto você não aprender a lição que a vida quer lhe dar você vai continuar sendo colocada nas mesmas situações. Eu sei que a maioria das pessoas acredita que só aprendemos na prática, mas não acredito nisso porque já aprendi muito com conselhos dos outros ou ouvindo histórias dos outros e evitando repetir o mesmo erro, afinal, mesmo que não fosse comigo a situação era parecida e o resultado provavelmente seria o mesmo. Digo isso porque vou compartilhar 20 coisas que aprendi ao longo desses quase 20 anos e acho que podem ser muito út…

Resenha: O poeta do exílio.

e
Sinopse: Pedro e Júlia estavam animados. Sua banda era finalista do festival estudantil Vozes de Classe. O regulamento exigia que as músicas se inspirassem em poetas brasileiros. Cada banda interpretou essa exigência à sua maneira. Precisavam agora animar a torcida. Os jovens criam cartazes, lançam torpedos, folhetos etc. E precisam também reunir informações sobre Gonçalves Dias, o autor do poema que deu origem à música classificada. Então, Pedro teve a ideia de criar um blog especial. Nasceu assim o BlogDoDias. Ali cabia tudo o que se relacionasse a Gonçalves Dias: poemas, cartas, artigos de jornal, documentos da época do poeta... Enfim, o blog agitou a galera e acabou se transformando em um completo dossiê sobre o poeta. No meio de todo esse agito, Pedro e Júlia parece que estão...Ah, os poemas de amor de Gonçalves Dias...
Certo, hoje de manhã a linda da coordenadora do colégio apareceu com os livros que iremos ler esse trimestre, eu nem um pouco metida, já li o meu livro, primeiro …

Internet Ruim e Nescafé

A internet ruim é algo irritante. Só cai e mal funciona, causando um mau humor danado para quem usa, e digo mau humor para os controlados, porque para os impacientes explosivos (como eu) passam raiva e acabam por se irritar e descontar em quem estiver por perto.
                O problema da internet que não funciona como deveria, é que ela nos engana, nos ilude e nos usa, deixando-nos ainda mais na frente do computador, para que por algum motivo continuemos a passar nosso tempo passando raiva e o gastando em algo que por não funcionar como deveria, é quase como não fazer nada.                 E também é assim o nescafé, ele deveria ser café, mas não é. Não tem o mesmo gosto, e deveria ter, ou assim, você é iludido a pensar. Mas o gosto é diferente, e para alguém que aprecia o bom café, entende o que estou tentando falar (ou não, minha mãe ama café e também ama nescafé... Acho que a culpa disso é por ela ser de gêmeos... Não que eu acredite em signos...).                 E por que es…