quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Minha experiência no NaNoWriMo


Oi gente, tudo bem com vocês?
Eu estou ótima, ontem terminei meu romance no NaNoWriMo e ganhei essas imagens legais de vencedora (aêee palmas para a Bibi), e aqui estou, falando um pouquinho da experiência. Eu fiz um vídeo, espero que gostem, e  convido todos vocês a conhecerem melhor o projeto e participarem ano que vem!
Espero que gostem, deixe seus comentários e segue o blog!
Beijinhos!

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Resenha: A Batalha do Apocalipse

                                             
                A Batalha do Apocalipse é um livro incrível (que clichê começar a falar de um livro assim, mas o que eu posso fazer se amo clichês?), porque sim, oras... Não, não é porque sim, é porque pelas suas lindas e maravilhosas 586 páginas (a minha edição tem exatamente esse número de páginas, apesar de eu não ter lido todo o glossário) você fica tão vidrado na história, que não consegue parar de pensar nos personagens.
                Eduardo Spohr tem uma narrativa épica, do tipo que te faz ter a sensação de estar lendo histórias de heróis (e tecnicamente você está lendo), pois Ablon, que é o personagem principal, também conhecido como o Anjo Renegado, é o nosso herói, e ele tem tudo o que precisa para ser um. Toda aquela história de honra, preocupação com a humanidade, porém só usa seu poder em último caso, nega sua espada, é apaixonado pela (linda, poderosa, diva) feiticeira Shamira e não pode ficar com ela devido todas as intrigas que está envolvido.
                Peraí, mas que intrigas Bibiana? Leia o livro se quiser saber (eu sei, que grosseria mais clichê).
                Mas do que fala o livro? Fala da Batalha do Apocalipse, porém não só da batalha, mas do que leva até ela. Tendo cenas do presente e do passado, com personagens marcantes e cativantes o autor faz com que você queira saber mais e mais até chegar ao fim do livro.
                Eu fiquei tão presa à história que me enrolei um monte para terminar de ler, não porque o livro não é bom, mas sim porque ele é ótimo e eu não queria que a história acabasse (e fazia um tempo considerável que eu fazia isso, se bem que a falta de tempo de ler ajudou um pouquinho).
                O que eu mais gostei no livro é o jeito que ele é narrado, e como o autor trabalha em cima dos personagens. A escolha de palavras, adjetivos e todas essas coisas que se usa para escrever uma boa história, Eduardo Spohr sabe usar perfeitamente. E a teoria que ele se embasa e constrói sua própria história (ficcional é claro) dentro de uma história que todos nós conhecemos é fantástica (a não ser que você seja alguém muito religioso, então você nãovai gostar do livro, achando-o um pouquinho herege, mas, whatever, é um livro fantástico).
                A literatura fantástica nacional está me cativando cada vez mais, e A Batalha do Apocalipse tem algumas partes que provocam uma reflexão um pouco maior sobre nós seres humanos e o que nós somos. Eu simplesmente adorei e recomendo.

                

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Entrevista com a autora Renata Penka

                Olá gente, estou dando sinal de vida (eba!!). Na verdade, eu já deveria ter feito esse post, porém essa semana foi bem corrida e acabei ficando sem tempo. Porém aqui estou. E hoje trago uma novidade muito legal.
                Na sexta-feira (8 de Novembro) teve o lançamento na Livrolar News, aqui em Caçador-SC, o lançamento do livro Entre Trovões, da autora Renata Penka e publicado pela editora InVerso.
                Estive presente no evento e conversei com a escritora, que é muito querida e ama História (assim como eu). E fiz uma entrevista (primeira de toda a minha vida), espero que gostem e conheçam melhor o novo livro dessa nova escritora, que está de parabéns pela obra e pela publicação. 

Conversa com a autora....

Como veio a ideia de escrever o livro Entre Trovões?
          Eu gosto muito de assistir filmes, ler, sempre desde pequena, mas nunca tive aquela coragem para colocar no papel as ideias. Aí eu pensei “tem que tentar para ver o que acontece, aí comecei, na época estava no Ensino Médio, e quando vi estava com uma quantidade boa de páginas e quanto mais eu escrevia mais eu me motivava a continuar.
Quanto tempo demorou para ser publicado?
           Ele ficou uns três anos parado, por conta dos estudos, e quando eu retornei a escrever foi uns dois meses para terminar e entrar em contato com a editora e conseguir a publicação
Como foi receber a notícia que seu livro seria publicado?
Foi incrível, eu lembro que até hoje, a hora que eu abri o e-mail e tinha um da editora eu fiquei “E agora? É a hora da verdade?”, eu fiquei muito feliz, porque era uma coisa que eu não havia mostrado para ninguém, eu tinha vergonha porque sempre tem aquela coisa de não acreditar que algo que você fez é tão bom para ser publicado.

Quando você tem ideias, o que te inspira?
Eu não tenho exatamente um método, as vezes estou trabalhando e surge um nome, uma imagem, fico com as ideias e passo para o papel.
Qual foi seu personagem preferido de escrever em Entre Trovões?
Ah, foi a Ágata, protagonista da história. Eu vejo nela algumas características minhas, porque na época do colégio, na época de colégio e de primeiro amor, eu me baseei em coisas minhas, das minhas amigas, histórias que tinha na época, que eu acabei adaptando para criar a personagem.
Você tem alguma mania, como escutar música enquanto está escrevendo?
Escutar música ajuda bastante, eu acho que o estilo da música acaba influenciando na cena que você está escrevendo, se for uma melodia mais romântica a cena fica mais assim, e se for algo mais séria, o personagem está em um momento tenso, você coloca um rock e ajuda bastante na cena.
Alguma banda ou canto de preferência?
Eu escuto de tudo, sou bem eclética, mas não escuto sertanejo e nem aqueles rock muito pesados, mas o que eu mais escuto é Maroon 5, John Meyer e Cobie Caillat
Dos personagens masculinos qual foi teu preferido de escrever?
         Na verdade, são três personagens masculinos e três femininos, e eu tentei fazer todos eles com características bem próprias, por exemplo, o Murilo é aquele ideal de protagonista americano, o jogador de futebol, aquele tipo que toda menina, por mais que negue, acaba achando legal. O Leo, bem amigo da Ágata, é bonito, mas é um perfil de homem mais companheiro, que faz de tudo para agradar a menina que gosta. Já o Vinicius, é o irmão da Carol, é outro tipo, é o tipo de cara que gosta de ficar com várias ao mesmo tempo para se falar o bonzão, e não quer nada muito sério com ninguém.
Você costumar criar uma estrutura pro seu livro, ou vai escrevendo como vem a inspiração?
               Eu vou escrevendo normalmente como vem a inspiração. Ás vezes eu estou escrevendo uma cena, e vem alguma ideia, um objeto especifico que eu não sei como usar, deixo anotado para depois encaixar.
Você tem algum projeto novo, alguma continuação?
             Eu comecei uma continuação do Entre Trovões, mas surgiram novas ideias, outras histórias, alguma coisa mais adulta.
Na história você fala sobre o Egito e dramas adolescentes e você fala que se baseou em coisas que você viveu, você acha que o livro pode ajudar os adolescentes em algumas questões dessa fase?
Eu acho que sim, porque tem muito daquela coisa de identificação, porque todo mundo passa por essa faze de primeiro amor, das dúvidas que isso trás e da escola, que é algo que todo mundo passa, onde tem amigos e professores que marcam.
Você se baseou em algum professor real seu do Ensino Médio par algum dos professores do livro?
Especificamente não, mas eu fiz a professora, a Mônica, eu tentei fazer ela, não aquele estereotipo de professor, eu tentei colocar uma professora mais amiga, mais humana, mais próxima dos alunos, já que história não é uma matéria que todo mundo goste.
Quais são suas séries preferidas?
                Friends, How I met your mother e The Walking Dead.
Como é trabalhar com uma editora?
                Bom para mim foi muito tranquilo, cheguei com o texto pronto, e fiquei naquela espera se tinha futuro ou não, aí recebi a resposta que tinha, com algumas coisinhas para modificar, que eu concordei, e no resto foi realmente tranquilo.
Você gostou da capa, ajudou na escolha?
Sim, eu ajudei a escolher a imagem. E eu acho que ficou muito a ver com a história.
Você tem alguma dica para os novos escritores?
Você não pode dizer, tem que colocar na sua cabeça que tem gente que vai ler e que vai gostar, tem gente que vai ler e não vai gostar, mas você não pode desistir, tem que continuar, porque é muito difícil começar e logo deslanchar, tem que continuar e não é um não que pode te parar.

Algumas fotos do evento:

Minha foto com a autora (não podia faltar, né!)






Um pouco mais sobre o livro...

Entre TrovõesSinopse:Início do ano letivo no colégio Lacerda. O segundo ano do ensino médio começava com um misto de alegria e saudade para os melhores amigos Ágata, Tina e Leo. A volta de Ágata ao colégio depois de um ano no Rio Grande do Sul, despertava nela lembranças doloridas que a morte de alguém muito especial causou. Mas, isso será amenizado com a felicidade de estar entre seus amigos e retomar o estágio em enfermagem que ela tanto gostava.Outro trio, Murilo e os irmãos Vinícios e Carol estavam animados com a união da equipe de futebol estudando na mesma sala. Depois de apresentados os seis, o capitão Murilo percebeu em Ágata, a menina não popular mais interessante do colégio, o que significava o sentimento que se chama amor.Se de um lado o amor florescia, do outro, o ciúme crescia. O famoso e encrenqueiro André, capitão da equipe de handebol tentará de todo jeito se envolver com Ágata. Usando o ponto fraco dela.Entre conversas, festas, aulas de dança e muitos machucados, uma viagem ao Egito pode mudar o destino de todos eles. Criando laços e memórias para toda uma vida.Este é o ensino médio que você gostaria de viver!
Sobre a autora:Pós-graduada em Jornalismo, atualmente trabalha como web writer em empresas gráficas. Redatora que possui muita Criatividade Plus, que faz Somente Coisas Legais e que adora um bom Café Com Galo. Nas horas livres, não resiste aos seus cachorros, filmes, acessórios e esmaltes. Acredita que a inspiração aparece em qualquer situação e qualquer pessoa pode sim realizar seus sonhos, basta ter paciência.
Onde comprar online: http://www.editorainverso.com.br/livro_dentro.php?id=93

Espero que tenham gostado, deixem o comentário, e sigam o blog. 

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Tag Literária: Combina com Qual Livro?

                A Tag foi criada pelo blog http://meninoironia.blogspot.com.br .
                Bem essa tag consiste em você escolher uma música e escolher três livros que para você tenham tudo a ver com a música. Como sou viciada em Rock vocês sabem que eu iria escolher uma música de rock, não é mesmo?
                Mas admito, a escolha foi difícil porque me passou na cabeça todas as músicas do Legião, do Capital, do Nirvana e do Foo Fightesr na cabeça (ok, nem todas que passaram foram deles e não eram todas as dessas bandas e tal.).
                Mas acabei escolhendo, uma música do Foo Fighters.

            Eu particularmente amo essa música, pela letra dela. Ela fala sobre um herói, no caso heróis, e apesar de ter que relacionar com a história do livro eu também relacionei aos autores.
Vamos aos livros.
O Primeiro livro que eu escolhi, pensei imediatamente escutando a música foi em Harry Potter e as Relíquias da Morte, primeiro por ser o último livro de uma saga que marcou a minha vida, segundo por ser o livro em que o Harry vira para sempre o herói.




O segundo livro que eu escolhi foi A Herança, que é o último do Ciclo a Herança (a série do Eragon), porque é nesse livro que eu acho que Eragon, o “herói” da saga realmente vira herói, e um personagem que eu amo muito (e olhem que clichê ambulante eu sou, acho que é spoiler o resto) e que parece ser o vilão o tempo inteiro e para mim ele vira um herói.

                                            






















E o terceiro livro que eu escolhi (e último) foi o livro Círculos de Chuva(sim da Trilogia Dragões de Éter), não por ser o último e surgirem muitos heróis, mas especialmente por um personagem (spoiler) que é o Snail, pelo que ele se torna e pelas mudanças que ele faz na vida de algumas crianças. Para mim ele é um herói (mesmo não sendo o estereotipo de herói). Acho que no fundo há “vilões” que nascem para ser heróis (e são esses que me conquistam).
Bem, essa foi a minha tag literária, espero que tenham gostado, sintam-se a vontade para fazer, mas lembrem-se de falar do criador da Tag e de onde a viram.
Comentem, soltem foguete, divulguem vocês já sabem, não é? 

Mentiras que machucam, verdades que assombram

             Tantan   
        Existem mentiras que machucam. Machucam mesmo. E verdades que assombram. E existem bocas que contam mentiras que machucam, verdades que assombram e segredos que deveriam ser levados junto ao túmulo, ou ao menos guardados no fundo de uma gaveta que se perca a chave.
          Existem amigos que vão sempre estar lá, e contar as verdades de uma maneira menos dolorosa, e que mentiras, só sairão da boca deles quando extremamente necessário. Porém existem aqueles que não merecem o título de amigos, que mentem descaradamente, que espalham verdades que são segredos e que não sabem ser amigos.
       E no baile da vida, passando por salões escuros, ou por salões animados e cheios de gente, haverá amigos, haverá falsos amigos, existirão mentiras, existirão verdades. Existirá medo e insegurança. Existirão pedras no caminho e monstros disfarçados de pessoas tentando te impedir de passar para o próximo salão, ou para a próxima escada, ou até mesmo para fora de castelos de areia.
          Haverá aprendizado. Seu aprendizado. Aprenderá com a mentira que machuca, com o amigo que traí e que é falso, e com a verdade que machuca. Aprenderá que nem toda escolha certa é boa, que nem todo caminho que leve aos seus sonhos é limpo e sem obstáculos. Você terá que aprender a lutar, com unhas e dentes, para enfrentar dragões e lobos maus.
          Nessa história não existirá um herói para te salvar. Porque você é o herói dela. Você é o personagem principal. E só você tem o poder de muda-la, de torna-la melhor e acima das expectativas. Apenas você tem o poder de mandar embora falsos amigos, escolher acreditar nas mentiras que machucam, e aceitar as verdades que assombram.

       Você é o único que pode mudar a sua História. Conquistar os seus sonhos. E evoluir, para que o mundo evolua com você.