sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Parceria com o autor: Igor Quadros

Olá gente, olha só o que chegou hoje do correio: O Livro de Almas - Os Dois Herdeiros, do autor Igor Quadros.
O livro foi cedido para o autor para ser feita a resenha e para um sorteio, que nessa segunda feira (03/02) vocês terão mais informações.
O livro tem uma capa linda e a sinopse parece muito interessante, vamos conferir?

Sinopse:

Por quase toda a sua vida, Jox viveu em um hospital psiquiátrico, com problemas que ninguém nunca conseguiu diagnosticar com clareza. Tudo muda quando ele retorna para a casa dos seus pais e tenta se readaptar ao mundo. No entanto, o que ele achava ser a chave para a compreensão de seu passado parece ser o princípio de um abismo ainda mais profundo. Enquanto isso, três pessoas com dons paranormais são obrigadas a enfrentar os seus maiores medos, voltando à realidade que sempre tentaram esconder: o juramento de uma antiga aliança, que os poderia levar à morte. Por trás da vida de todas essas pessoas existe uma conexão, um enigma que os une pela amizade e pelo terror.










E gente olha só esse autógrafo que bonito:


Muito bem estou ansiosa pela leitura (que iniciarei hoje) e esperem por mais notícias do sorteio.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Resenha do Livro: Bento



O que você faria se acordasse depois de vinte anos em um mundo tomado por vampiros? E o pior e se você descobrisse que você é a pessoa que todos estão esperando, pois você junto com outras 29 pessoas, será o responsável por 4 milagres que salvarão a humanidade de uma terrível praga? Bem, eu não sei a resposta, mas sei o que Lucas fez, pois eu li Bento.
Bento é o primeiro livro da Saga o Vampiro Rei, primeiramente era para ser um livro único, mas tinha muito mais história para contar e seu autor, André Vianco, acabou escrevendo duas continuações, originalmente chamados de: O Vampiro-Rei vol 1 e vol 2, porém muitos leitores (eu estou na lista) acabavam lendo O Vampiro-Rei vol 1 sem antes ler Bento e acabavam ficando um pouco perdidos. Então para acabar com a confusão eles renomearam os livros, dando o nome de Saga O Vampiro Rei, sendo os livros chamados de: Bento, A Bruxa Tereza e Cantarzo.
Bem, confusões a parte, depois de anos consegui comprar Bento. Olhe era um dos primeiros livros que eu procurava nas livrarias daqui, porém ou eu estava querendo muito outro livro ou o livro já tinha sido vendido. Aí esse ano venho a (bendita/maldita) Black Friday e consegui comprar meu exemplar por um preço muito bom. E bem, coloquei-o na minha meta de leitura.
Eu realmente esperava algo bom, porque já li outros livros do Vianco e realmente gostei. Eu só não esperava que fosse algo apaixonante, viciante, que vai me deixar com DPL (depressão pós-livro), etc... Em outras palavras eu ainda estou de boca aberta com o término do livro e arrepiada. Sério!
Bem, a história é mais ou menos assim, há trinta anos ocorreu um apocalipse, só que invés de ser um apocalipse Zombie, foi um apocalipse de Vampiros. Como assim? Bem, a chamada Noite Maldita, foi uma noite em que metade da humanidade entrou em um sono profundo sem prazo para acordar, e a outra metade que sobrou ou virou vampiro ou sobrevivente do apocalipse. 
Os humanos que sobreviveram, obviamente, foram se juntando em comunidades afastadas dos grandes centros urbanos, já que estes foram totalmente tomados pelas criaturas demoníacas (leia-se vampiros). E acabaram levando os adormecidos (ao menos os que eles conseguiram) para lá. 
Os adormecidos uma hora ou outra começavam a acordar, e alguns com poderes incríveis de sentir o cheiro dos Vampiros e lutar contra eles. Esses caras ficaram conhecidos como bentos.
E um homem, chamado Bispo que começou a ter visões previu que quando houvessem trinta bentos e as trinta espadas destes homens se juntassem quatro milagres aconteceriam e ajudariam na luta contra os vampiros.
E então, Lucas desperta. O trigésimo Bento. O salvador. 
Bem, a partir daí nós temos uma história cheia de lutas, reflexões, uma trilha sonora maravilhosa feita por músicas de rock (Vianco tem um gosto ótimo para música!), terror, medo e esperança. 
Os vampiros desses livros (não brilham no sol e nem são repletos de sex appeal) são aterrorizantes, espertos, com uma sede de sangue terrível, queimam no sol, não podem com água benta (leiam o livro para entender melhor essa parte) e prata. 
Sendo um livro de aventura, beirando ao terror, André Vianco nos conduz por uma história emocionante de tirar o folego e que faz você querer virar as páginas cada vez mais rápido. Bento é um livro nacional que mostra que os escritores brasileiros tem talento de sobra e mentes brilhantes. 
Dei cinco estrelas do Skoob, favoritei e recomendo para todas as pessoas que gostam de terror, aventura, fantasia, suspense e todas essas coisas.
 É um livro muito bem estruturado, com cenas maravilhas. Leiam que vocês não vão se arrepender. 

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Resenha do Livro: O Chamado do Cuco

Eu comprei o livro O Chamado do Cuco em pré-lançamento no Submarino sem saber que estava comprando sem o livro estar lançado. Só vi depois que paguei o boleto. Porém foi uns dois dias antes de lançar, o que fez o livro chegar em um prazo normal aqui em casa. 
Acabei me enrolando para ler e então finalmente li. A primeira coisa que preciso dizer é que gostei muito mais de Morte Súbita (logo vou postar a resenha aqui no blog), apesar de que esse livro também é muito bom. 
O Chamado do Cuco começa com a morte de uma modelo chamada Lula Laundry. Mostra a cobertura da morte e então tem um salto de tempo, indo para três meses depois da morte da modelo. Onde nos é apresentando Robin, uma garota recém chegada a Londres e que recém noivou com um rapaz. E Cormoran Strike, um detetive sem dinheiro que acabou de desatar seu noivado com uma moça complicada. 
Bem, a história em si começa quando o irmão de Lula, John vai até o escritório do detetive e pede para que ele investigue o caso, pois tem certeza que não foi suicídio, que foi o que a polícia determinou. 
Apresentando de uma maneira interessante Robin e Strike, Robert Galbraith (a.k.a J.K Rowling) vai construindo uma história de detetives parecidas com as de Sherlock Holmes, mas analisando um pouquinho mais a personalidade do detetive e também de sua secretária temporária que mostra-se de uma enorme serventia durante o caso. 
No livro também é apresentado um mundo de fama e paparazzis, mostrando alguns personagens ricos e famosos, e também personagens que não são ricos (na verdade são quase miseráveis) e que tiveram o contato com a fama através de Lula. E todas as impressões que ambos os lados tem da modelo. 
Uma das coisas que eu gostei é que durante a investigação vamos conhecendo a modelo morta e vendo que existem dois lados dela, o lado que os amigos mostram e os que os familiares mostram, por um lado temos uma pessoa alegre, porém mentalmente perturbada. Uma pessoa que cresceu em uma família adotiva e quer conhecer suas raízes, mas que de certo modo é impedida pela família que tenta controlá-la a qualquer custo. 
Em fim, o livro é muito bom, o final dele é realmente surpreendente. Nem eu imaginava como ia acabar (e olha que eu normalmente sou muito boa em adivinhar assassinos e motivos). 
Porém, mesmo com algumas partes pesadas, a leitura é bem mais leve do que o de "Morte Súbita" , é um perfeito romance policial e tem algumas cenas  muito engraçadas e outras inusitadas. Ou seja: Tem tudo o que um bom livro precisa. 
Só não dei cinco estrelas no Skoob, porque eu realmente amei "Morte Súbita" e esperava algo mais na pegada pesada do livro. Porém em si O Chamado do Cuco é um livro maravilhoso que prova que J.K Rowling é uma escritora maravilhosa e que seus talentos vão muito além de Harry Potter. 


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Selo: Liebster Award

Olá gente, tudo bem com vocês?
Hoje vim responder uma TAG/selo, que o blog Imemoriavel me indicou. Obrigada pela indicação ^.^
Bem, vamos ao que deve ser feito:

Essa TAG/selo tem como função divulgar novos blogs, e tem 4 tarefas: Falar 11 coisas sobre você, responder 11 perguntas feitas pelo o blog que lhe indicou, indicar 11 blogs com menos de 200 seguidores e fazer 11 perguntas para os indicados.


11 coisas sobre mim:
1-Nasci no mesmo dia que a Coco Chanel. 
2-Além de amar ler, eu amo escrever.
3-Não me sinto confortável emprestando livros, é como se a pessoa estivesse arrancando um pedaço de mim.
4-Minhas inspirações internacionais são: Neil Gaiman e J.K Rowling.
5-Minhas inspirações nacionais são: Renata Ventura, Carolina Munhoz, Raphael Draccon, André Vianco e Eduardo Spohr.
6-Sou fissurada em livros de fantasia e adoro escrever nesse gênero.
7-Meu atual sonho de consumo são as edições encadernadas com todos os volumes de Sandman do Neil Gaiman (sim, são HQ's) 
8-Tenho alguns livros escritor e completos.
9-Participei do NaNoWriMo, sobrevivi e consegui as 50.000 palavras em um mês.
10-Não consigo dormir cedo.
11-Sou alérgica a leite. Mas não a lactose (vai entender)

11 perguntas respondidas:

1.Um livro que você tinha grandes expectativas para ler mas se desapontou.
Bem, eu quase nunca me desaponto com livros. Mas um que eu esperava outra coisa e acabou sendo um romance que eu não gostei foi o livro "Beijada por um Anjo", eu não gostei muito e me desapontou.
2.Um personagem que não devia ter morrido(não vale o Gus)?
Fred Weasley da série Harry Potter. Não preciso explicar, né?
3.Um que deveria ter morrido?
Dolores Umbridge. 
4.Um livro de pouco sucesso que você tenha gostado?
Uma série chamada A Menina da Sexta Lua.
5.Maior quantidade de paginas lidas em um dia?
500 páginas.
6.Se você escrevesse um livro,como seria a capa dele?
Não sei... Depende do livro. Mas tentaria encaixar em alguma cena do livro ou em algo que tivesse a ver. 
7.Pior adaptação cinematográfica?
Eragon, sem dúvida. Não tem nada a ver com o livro. Fica lado a lado a Percy Jackson, mas ainda acho Eragon pior. 
8.Ultimo livro comprado?
Edição de luxo da Panini Comics de Dias da Meia Noite, uma série de HQ's do Neil Gaiman.
9.Se pudesse se casar com um personagem,qual seria?
Com o Capí de A Arma Escarlate. 
10.Qual é o pior tipo de leitor?
Aquele que acha que ler é algo reservado a poucos, que quem lê é cult, e lê mais para pagar de diferente do que para aproveitar a história. Aqueles que viram super fãs de uma saga só e chamam alguém que leu e gostou de poser só por não saber o nome do pai do vizinho que é primo da tataravó do personagem X.
11.Que tipo de leitor você é?
Ué, não sabia que existiam tipos de leitor.... Mas tudo bem, eu sou o tipo de leitora que gosta de saber como foi o processo de escrita do livro e de estruturação. Mas só dos que eu realmente gosto e viro fã do autor. 

11 blogs indicados:



11 perguntas a serem respondidas pelos blogs indicados:
1-Qual é o seu gênero de livros preferidos?
2-Quantos livros você lê por ano?
3-Em que momentos do seu dia você lê?
4-Além de ler você gosta de escrever? Que tipo de gênero?
5-Quais são seus escritores preferidos?
6-Você costuma ler livros nacionais?
7-Você lê livros em inglês?
8-Qual foi o livro que mais te decepcionou? Por quê?
9-Qual foi o livro que mais te surpreendeu? Por quê?
10-Um livro que todos tem que ler.
11-Livros que você pretende ler até o final do ano.


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Resenha do livro: O Oceano no Fim do Caminho

 Bem, para começar eu ganhei o livro de natal. Acho que todo mundo aqui de casa já me escutou falar de quanto o Neil Gaiman escreve bem e de como ele é uma inspiração para mim e como Sandman é meu sonho de consumo... Então ganhei o livro.
Primeiro, apesar da minha cunhada ter lido o livro antes do que eu, simplesmente não fazia a menor ideia do que se tratava, inclusive evitei ler resenhas. Na verdade eu leio mais resenhas de livros que eu já li do que de livros que eu pretendo ler... O que é algo muito bom, porque nas resenhas ás vezes você descobre que deixou alguma coisa passar.
Mas em fim, vamos ao livro. Para começar O Oceano no Fim do Caminho não começou como um romance (livro com mais de 100 páginas). O Neil Gaiman é casado com Amanda Palmer, uma cantora, e no período que ele começou a escrever ela estava na Austrália fazendo o novo album de músicas, ele ficou com saudades e pensou: Vou fazer um conto para ela, para dizer que estou com saudades.
Só que ele acabou escrevendo mais do que ele planejava, e acidentalmente virou um livro de 205 páginas (ao menos na edição brasileira, publicada pela Intríseca. E que eu devo elogiar a capa, pois a minha edição pegou chuva - meu quarto alagou, mas essa é outra história - e o livro esta inttacto) muito bom. E seu primeiro livro para adultos em anos.
O livro conta sobre eventos estranhos que acontecem na vida de um garoto de sete anos (o nome só é mencionado uma vez durante o livro, e para mim ele não tem um nome), porém ele so se lembra disso quando vai até a casa no final da rua que ele morava (que na verdade é uma fazenda) e olha para um lago, que sua amiga Lettie chamava de Oceano.
Ele recorda todos esses episódios e é assim que a história vai se montando. A visão é de um garoto de sete anos que não tem amigos e gosta de ler. Coisas estranhas acontecem com ele, como conhecer a família Hempstock porque um homem que morava em um quarto que já fora dele resolveu pegar o carro da família e cometer suícidio.
E esse suícidio é que é o estopim para todas essas coisas estranhas. Enfrentadas de uma maneira muito natural por ele, porque bem, crianças tendem a entender as coisas estranhas melhor do que os adultos.
Eu adorei o livro, primeiro porque o estilo de escrita de Neil Gaiman é simplesmente fantástico. Segundo porque o jeito como a fantasia é apresentada parece algo realmente natural. E terceiro porque os personagens são muito bons.
A critatividade em criar monstros é uma coisa admirável nas obras do Mr. Gaiman, e nessa não poderia ser diferente. Não é a toa que ele ficou no topo da lista do New York Times.
Eu recomendo esse livro para quem gosta de fantasia, mundos obscuros e coisas estranhas acontecendo com pessoas completamente normais. Ou não tão normais assim, mas que aparentam ser normais.
E o final do livro é simplesmente de cair o queixo, assim como muitas coisas que vão acontecendo. Neil Gaiman sabe tecer um livro do começo ao fim como ninguém, e é impossivel não gostar dessa história (a não ser e claro que você não goste de fantasia).
É uma fábula inspirada e inspiradora. E com uma capa muito signitficativa (na minha opinião). Leiam, porque realmente vale a pena! 

sábado, 11 de janeiro de 2014

Dores de crescimento

Então é isso. É você sozinho com os ecos da sua mente berrando coisas que talvez você não precisasse ser lembrada, ao menos não naquele momento. É você fechando os olhos e abraçando forte as pernas, como se assim pudesse espantar a dor alucinante de ser abandonada, esquecida e substituída um número de vezes maior que os dedos das suas duas mãos juntas possuem. São
momentos. Nomes. Lembranças. Tudo em uma velocidade alucinante e destroçante. Então é isso que acontece quando você percebe que está crescendo? É isso que acontece quando o mundo não quer que você seja mais uma criança? É essa a dor por ter um mundo perfeito dentro de si e ver como o mundo aqui de fora pode machucar? É isso que acontece em madrugadas de dias nostálgicos? Lágrimas e dor? Então é isso? Poxa, se eu soubesse, por Deus, eu preferia ter ficado para sempre criança, onde eu podia acreditar em cartas de Hogwarts, portas de guarda roupa para Nárnia, buracos para a Terra das Maravilhas, e onde a minha maior dor era a de ralar o joelho...

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Tag Literária: Livros Opostos.

Oi oi gente tudo bem? Aqui ao lado vocês podem analisar como uma pessoa pode ficar frustrada ao perceber no último minuto que não estava gravando o vídeo, e quando clicou em um botão tirou uma foto. Mas fora isso, deu um trabalho gravar esse vídeo, então de coração eu espero que vocês gostem!
Essa também é a postagem número 200 do blog ^.^ (Só por curiosidade mesmo hehehe =D )





E aqui estão as resenhas que têm no blog citadas no vídeo:
Cidades de Papel: http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...
A Arma Escarlate: http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...
Feérica: http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...
A Batalha do Apocalipse: http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...
A Guerra dos Tronos: http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...
Anna e o Beijo Francês:http://bmpcarneiroescreve.blogspot.co...

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Resenha do Livro: Cidades de Papel.

Cidades de Papel é um livro de John Green que conta como foi as últimas semanas do Ensino Médio de Quentin Jacobsen. O que seria algo relativamente chato se não fosse o fato principal que conduz a história. O desaparecimento de Margo Rolth Spiegelman. 
O que torna isso realmente relevante para Quentin não é só o fato deles terem sido amigos de infância, e a garota ser sua paixão desde sempre, mas ela ter escolhido aprontar um monte de coisas malucas (e engraçadas) durante a última noite dela por lá. E também, que sempre que desaparece (sim, não é a primeira vez que isso acontece) ela deixa pistas a serem seguidas, e aparentemente ela deixou-as para Quentin. 
Deixe-me comentar uma coisa para vocês, o que me cativou no livro não foi o fato dele estar correndo atrás dela e nem ficando preocupado e blá blá blá, e sim o fato desse livro ser hilário. Os amigos do Quentin: Radar e Bem (principalmente o último) são muito engraçados. E os três juntos tem tiradas geniais. 
Formando casais improváveis e mostrando o lado dos "geeks", John Green escreveu um romance com toques de humor, reflexão e mistério. Porque sim, você acaba se envolvendo e pensando: "Caramba Margo, onde diabos você se meteu menina?". 
E quando você finalmente chega ao fim do livro, alguns se revoltam contra a Margo, mas se você for alguém como eu você vai entender totalmente o título do livro e entender como tudo é perfeito. 
O livro é bem escrito. Tem reflexões verdadeiras e que eu me identifiquei muito. Você provavelmente vai cair na risada muitas vezes enquanto estiver lendo (eu ao menos caí). E nesse livro John Green realmente me conquistou. 
Eu recomendo esse livro para o final de semana (ou no caso da maioria do pessoal para as férias), porque é um livro leve e com uma leitura fácil e rápida.
Publicado pela editora Intrínseca, no Brasil, tem quase 400 páginas (ou se preferir, um pouco mais de 300 páginas), eu achei a capa simplesmente perfeita e a edição em si do livro ficou ótima. Livro recomendadíssimo. 




quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Desejos de ano novo...

happy new year everyone Porque sempre que tem uma personagem feminina narrando na droga de um livro uma das primeiras coisas que a personagem se atribui é o dom de ser desastrada? Não sério, porque elas falam como se isso fosse uma exclusividade delas, mas caramba, então POR QUE DIABOS TODA PERSONAGEM SE ATRIBUI ISSO?
Aliás, se elas realmente são desastradas, no universo paralelo onde os personagens de livros habitam deve ter milhares de acidentes ocorrendo pelo simples fato de terem milhares de meninas sem o controle dos próprios pés.
Ou seja, ser desastrada se você for uma personagem é um clichê. E se você for uma menina real é algo muito comum e você não precisa mais se achar uma aberração. Mas afinal, por que diabos ser desastrada seria considerado uma aberração?
Porque todos querem meninas graciosas, certo? Vão pra puta com esses conceitos idiotas. Eles acham que e fácil andar com um salto 15 ou um all star? Não, não é. É muito fácil de virar o pé. Essas coisas são quase um pedido desesperado que você seja desastrada (e sim, eu já virei o pé com all star, faço isso o tempo todo, e não, eu NÃO SOU DESASTRADA, sou só uma garota que desafia as leis da física).
Em fim, toda essa lambança de texto é para reclamar desse clichê de personagens desastradas, da exigência de garotas elegantes e que controlem os próprios pés, dos saltos 15, 20, 25 que são quase impossíveis de andar, mas incrivelmente continuamos colocando eles nos pés, e do ano novo.
Porque mesmo que seja o primeiro dia de um novo ciclo que se encerrou, as pessoas continuam agindo da mesma maneira. Aliás, toda essa coisa com o ano novo e bizarra, porque todo dia pode ser ano novo, todo dia é o encerramento e um recomeço. O que importa é o que as pessoas fazem com esses ciclos.
Tumblr Não adianta desejar que o ano que está vindo seja bom, se você não mudar como pessoa. Porque e você que faz a sua vida, você que constrói, reconstrói os ciclos e decide se sai de um círculo vicioso que não te deixa sair do lugar, ou se você muda, quebrando as coisas que aconteciam antes e fazendo um novo caminho.
E é por isso que não adianta desejar um "Feliz Ano Novo", se no final o ciclo vai se repetir e não vai ter nada de novo. Hoje, estamos novamente no começo, e para que as coisas sejam diferentes, a mudança tem que começar por você. Mudar a estrada, fazer novas escolhas e realmente cumprir as coisas da sua lista de desejos e promessas mudam quem você é, mudam os caminhos que você escolhe, e assim você muda o mundo.
Porque quem muda não é o tempo, e sim você com o passar dele.



 Feliz ano novo a todos vocês, e que 2014 seja um ano repleto de novas escolhas, novas felicidades e que seja um novo ciclo para todos nós.