Pular para o conteúdo principal

Resenha do livro: Espíritos de Gelo






O livro Espíritos de Gelo do autor Raphael Draccon começa com um rapaz acordando em um lugar estranho, com três caras - um deles com uma camiseta do Black Sabbath (e sim isso é importante pra mim) - querendo saber o que aconteceu com ele, e para que o rapaz recupere a memória vão o torturar, pois segundo os carinhas só um trauma pode fazer com ele supere o trauma que o fez perder a memória. Isso tudo para conseguir a explicação de como ele acabou em uma banheira sem um dos rins.

Bizarro, né? Mas calma, ainda vai piorar o nível de bizarrice. 
É que ele ser torturado vai dando certo e ele vai recuperando a memória, sendo que em um capítulo ele conta o que acontece no cativeiro e o outro o que ele lembrou.
Ele vai descobrindo algumas coisas, entre elas uma mulher que o levou para uma seita de sexo tântrico - algo assim, confesso que nas partes que descrevia a seita eu só revirava os olhos, mas não por estar mal escrita, e sim por eu estar achando o cara um babaca - e desencadeou parte do que o levou para o final. 
Não posso contar exatamente o que acontece com ele (seria spoiler), porque a explicação vai te deixar boquiaberto e também um pouco: "Sério que foi preciso tudo isso só para isso?", pelo menos eu fiquei assim, meus amigos que leram acharam que foi super sensacional, então eu que devo ser a chata. 
Bem, agora vamos aos fatos do livro, comparado aos outros livros que eu li do Draccon, esse aí não chega nem aos pés de nenhum, é um livro médio, do tipo que você lê rápido, mas no final dele não é a mesma coisa que você sente em Fios de Prata ou em nenhum dos Dragões de Éter. 
Outra coisa que eu também achei que o livro ficou parecido com um conto do Neil Gaiman chamado "Os outros", tipo é diferente, mas a história parece que se baseia nesse conto - que é muito bom . 
Mas isso tudo não quer dizer que eu não gostei do livro ou que ele não é bom. O livro é ótimo e eu o adorei, e o Draccon não me decepcionou em nenhum momento da história, ele só não é tão foda quanto os outros livros dele, só isso. 
Então se você gosta de coisas surreais, tem pelo menos uns 14 anos (na real tem cenas +18, mas a gente sabe que ninguém respeita esse tipo de classificação indicativa. Mas se você tiver menos que 14 é possível que se traumatize com algumas coisas), curte Neil Gaiman e Stephen King, você provavelmente vai amar esse livro. 

Comentários

  1. Oi B,
    Esse livro parece ser muito bom. Assim que comprar e ler, Os Dragões de Etér, vou comprar esse também, Gostei bastante da historia.
    Amei a Resenha *-*
    Bjuus, Lê.

    #O Báu dos Melhores#

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh obrigada :3
      Ele é bem legal, mas DDE é bem melhor!
      Beijão

      Excluir
  2. Eu curti o livro, apesar de curtir muito mais Fios de Prata (Jesus amado, que livro é aquele). Se eu bem me lembro, ele me contou certa vez que escreveu o livro a pedido da editora lá de portugal. Vai ver é por isso que o livro não tem aquela essencia que vemos em D.D.E ou Fios de Prata :)
    Ótima resenha \0

    Academia Literária DF :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

20 conselhos de alguém com quase 20 anos

Oi, tem alguém aí? Em dez dias eu faço duas décadas de existência. E isso é muita coisa, ou pouca, depende do ponto de vista. Mas do meu ponto de vista é um bocado, que só me diz que tem mais um bocado pela frente (Graças a Deusa), e que já aprendi muito, e que ainda tem muito a aprender. Nesses últimos 19 anos eu aprendi muitas coisas, mas a principal é que essa vida só tem significado enquanto estamos aprendendo algo, que cada dia é uma lição e que enquanto você não aprender a lição que a vida quer lhe dar você vai continuar sendo colocada nas mesmas situações. Eu sei que a maioria das pessoas acredita que só aprendemos na prática, mas não acredito nisso porque já aprendi muito com conselhos dos outros ou ouvindo histórias dos outros e evitando repetir o mesmo erro, afinal, mesmo que não fosse comigo a situação era parecida e o resultado provavelmente seria o mesmo. Digo isso porque vou compartilhar 20 coisas que aprendi ao longo desses quase 20 anos e acho que podem ser muito út…

Resenha: O poeta do exílio.

e
Sinopse: Pedro e Júlia estavam animados. Sua banda era finalista do festival estudantil Vozes de Classe. O regulamento exigia que as músicas se inspirassem em poetas brasileiros. Cada banda interpretou essa exigência à sua maneira. Precisavam agora animar a torcida. Os jovens criam cartazes, lançam torpedos, folhetos etc. E precisam também reunir informações sobre Gonçalves Dias, o autor do poema que deu origem à música classificada. Então, Pedro teve a ideia de criar um blog especial. Nasceu assim o BlogDoDias. Ali cabia tudo o que se relacionasse a Gonçalves Dias: poemas, cartas, artigos de jornal, documentos da época do poeta... Enfim, o blog agitou a galera e acabou se transformando em um completo dossiê sobre o poeta. No meio de todo esse agito, Pedro e Júlia parece que estão...Ah, os poemas de amor de Gonçalves Dias...
Certo, hoje de manhã a linda da coordenadora do colégio apareceu com os livros que iremos ler esse trimestre, eu nem um pouco metida, já li o meu livro, primeiro …

Internet Ruim e Nescafé

A internet ruim é algo irritante. Só cai e mal funciona, causando um mau humor danado para quem usa, e digo mau humor para os controlados, porque para os impacientes explosivos (como eu) passam raiva e acabam por se irritar e descontar em quem estiver por perto.
                O problema da internet que não funciona como deveria, é que ela nos engana, nos ilude e nos usa, deixando-nos ainda mais na frente do computador, para que por algum motivo continuemos a passar nosso tempo passando raiva e o gastando em algo que por não funcionar como deveria, é quase como não fazer nada.                 E também é assim o nescafé, ele deveria ser café, mas não é. Não tem o mesmo gosto, e deveria ter, ou assim, você é iludido a pensar. Mas o gosto é diferente, e para alguém que aprecia o bom café, entende o que estou tentando falar (ou não, minha mãe ama café e também ama nescafé... Acho que a culpa disso é por ela ser de gêmeos... Não que eu acredite em signos...).                 E por que es…