domingo, 22 de março de 2015

Cinzas

Eu queria poder pegar toda a injustiça
E colocar em uma caixinha,
Ou em uma caixona,
Ou em várias centenas de trilhões de caixas
E queimar
Transformando em cinzas tudo isso
E construindo com as cinzas algo novo,
Algo bom
Algo que fosse justo, honesto, sincero
E que não trouxesse dor
Porque estamos no ápice do declínio,
Ou nós mudamos
Ou explodimos.
E se eu pudesse mudar
Além de mim
Eu mudaria.
Se pedissem tudo o que tenho,
Minha fé ,
Minha vida,
Eu ofereceria de bom grado em troca de um novo mundo.
Porque este está morrendo, e somos nós que estamos o matando.
Outro salvador não virá, Ele já deixou seu recado
Porque apenas louvar não adiante, é preciso servir
E se você não acredita em algo maior que você, tudo bem, é uma crença,
Mas se você também quer que as coisas melhores
Seja instrumento da paz, do amor, da justiça, da igualdade.
Porque o mundo está desabando
Mas se nós nos espertarmos
Haverão escombros e cinzas para construir algo bom e belo
Se não... Não sobrará nada.
Apenas um sopro e vibrações
De um planeta que pensou que existia,
Mas jogou fora sua existência
E não é nada mais que uma sombra.
Uma memória, que não terá ninguém para lembrar.