Pular para o conteúdo principal

Resenha do livro: A Esperança.

A Esperança

Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. 

A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. 
O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra? 
Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.












Finalmente o último livro da série "Jogos Vorazes", que eu já tinha encomendado chegou. Nem preciso falar que eu li ele em pouquíssimo tempo, e aqui estou tentando contar o que senti pelo livro. 
Bem, os primeiros dois livros da série me deixavam com gostinho de quero mais, e me fizeram simpatizar muito com a personagem principal, ela é forte, mas nesse último livro ficou claro que ela é péssima com coisas emocionais, se bem que por tudo o que ela passa nessa triologia era de se esperar que ela ficasse traumatizada para sempre. 
E é mais ou menos isso que esse livro retrata, ele mostra como a guerra que está acontecendo abala a Katniss, e como ela está tentando driblar isso. Ela obviamente vira o tordo, pois acha que é a única maneira de salvar a família. 
O distrito 13 dá seu jeitinho de entrar na programação da TV, e fazendo "marketing", ele consegue manter os rebeldes lutando, e óbvio quem estampa o que eles chamam de "pototrops", é Katniss, ou como também é chamada o Tordo. Só que a cada vez que ela faz isso, Peeta que está preso sofre mais nas mãos da capital. 
Bem, uma coisa a falar desse livro é que quando você pensa que vai começar a ser chato, cenas de luta e de morte vem, com certeza dos três livros esse é o que tem mais mortes e que meche com você, porque a autora não esconde como tudo aquilo, toda aquela violência e crueldade abalam os personagens. Ela deixa bem claro que aquilo vai ficar com eles para todo sempre. 
Você fica boquiaberto com o fim, e fica pensando na crítica do livro, fica pensando em Katniss, e se o mundo realmente chegasse aquele ponto, o que você faria? E no fim se tudo desse certo, como tudo aquilo continuaria com você? 
A autora é muito realista nesse ponto, e por isso o livro fica intrigante, mas incrível e quase perfeito. Sem contar que a frase final é tipo perfeita:"Mas há jogos muito piores do que esse".
Recomendo toda a série de Jogos Vorazes, e só digo uma coisa, não há como não amar essa série.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 conselhos de alguém com quase 20 anos

Oi, tem alguém aí? Em dez dias eu faço duas décadas de existência. E isso é muita coisa, ou pouca, depende do ponto de vista. Mas do meu ponto de vista é um bocado, que só me diz que tem mais um bocado pela frente (Graças a Deusa), e que já aprendi muito, e que ainda tem muito a aprender. Nesses últimos 19 anos eu aprendi muitas coisas, mas a principal é que essa vida só tem significado enquanto estamos aprendendo algo, que cada dia é uma lição e que enquanto você não aprender a lição que a vida quer lhe dar você vai continuar sendo colocada nas mesmas situações. Eu sei que a maioria das pessoas acredita que só aprendemos na prática, mas não acredito nisso porque já aprendi muito com conselhos dos outros ou ouvindo histórias dos outros e evitando repetir o mesmo erro, afinal, mesmo que não fosse comigo a situação era parecida e o resultado provavelmente seria o mesmo. Digo isso porque vou compartilhar 20 coisas que aprendi ao longo desses quase 20 anos e acho que podem ser muito út…

Resenha: O poeta do exílio.

e
Sinopse: Pedro e Júlia estavam animados. Sua banda era finalista do festival estudantil Vozes de Classe. O regulamento exigia que as músicas se inspirassem em poetas brasileiros. Cada banda interpretou essa exigência à sua maneira. Precisavam agora animar a torcida. Os jovens criam cartazes, lançam torpedos, folhetos etc. E precisam também reunir informações sobre Gonçalves Dias, o autor do poema que deu origem à música classificada. Então, Pedro teve a ideia de criar um blog especial. Nasceu assim o BlogDoDias. Ali cabia tudo o que se relacionasse a Gonçalves Dias: poemas, cartas, artigos de jornal, documentos da época do poeta... Enfim, o blog agitou a galera e acabou se transformando em um completo dossiê sobre o poeta. No meio de todo esse agito, Pedro e Júlia parece que estão...Ah, os poemas de amor de Gonçalves Dias...
Certo, hoje de manhã a linda da coordenadora do colégio apareceu com os livros que iremos ler esse trimestre, eu nem um pouco metida, já li o meu livro, primeiro …

Internet Ruim e Nescafé

A internet ruim é algo irritante. Só cai e mal funciona, causando um mau humor danado para quem usa, e digo mau humor para os controlados, porque para os impacientes explosivos (como eu) passam raiva e acabam por se irritar e descontar em quem estiver por perto.
                O problema da internet que não funciona como deveria, é que ela nos engana, nos ilude e nos usa, deixando-nos ainda mais na frente do computador, para que por algum motivo continuemos a passar nosso tempo passando raiva e o gastando em algo que por não funcionar como deveria, é quase como não fazer nada.                 E também é assim o nescafé, ele deveria ser café, mas não é. Não tem o mesmo gosto, e deveria ter, ou assim, você é iludido a pensar. Mas o gosto é diferente, e para alguém que aprecia o bom café, entende o que estou tentando falar (ou não, minha mãe ama café e também ama nescafé... Acho que a culpa disso é por ela ser de gêmeos... Não que eu acredite em signos...).                 E por que es…