sábado, 21 de abril de 2012

Resenha do livro: A Esperança.

A Esperança

Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. 

A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. 
O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra? 
Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.












Finalmente o último livro da série "Jogos Vorazes", que eu já tinha encomendado chegou. Nem preciso falar que eu li ele em pouquíssimo tempo, e aqui estou tentando contar o que senti pelo livro. 
Bem, os primeiros dois livros da série me deixavam com gostinho de quero mais, e me fizeram simpatizar muito com a personagem principal, ela é forte, mas nesse último livro ficou claro que ela é péssima com coisas emocionais, se bem que por tudo o que ela passa nessa triologia era de se esperar que ela ficasse traumatizada para sempre. 
E é mais ou menos isso que esse livro retrata, ele mostra como a guerra que está acontecendo abala a Katniss, e como ela está tentando driblar isso. Ela obviamente vira o tordo, pois acha que é a única maneira de salvar a família. 
O distrito 13 dá seu jeitinho de entrar na programação da TV, e fazendo "marketing", ele consegue manter os rebeldes lutando, e óbvio quem estampa o que eles chamam de "pototrops", é Katniss, ou como também é chamada o Tordo. Só que a cada vez que ela faz isso, Peeta que está preso sofre mais nas mãos da capital. 
Bem, uma coisa a falar desse livro é que quando você pensa que vai começar a ser chato, cenas de luta e de morte vem, com certeza dos três livros esse é o que tem mais mortes e que meche com você, porque a autora não esconde como tudo aquilo, toda aquela violência e crueldade abalam os personagens. Ela deixa bem claro que aquilo vai ficar com eles para todo sempre. 
Você fica boquiaberto com o fim, e fica pensando na crítica do livro, fica pensando em Katniss, e se o mundo realmente chegasse aquele ponto, o que você faria? E no fim se tudo desse certo, como tudo aquilo continuaria com você? 
A autora é muito realista nesse ponto, e por isso o livro fica intrigante, mas incrível e quase perfeito. Sem contar que a frase final é tipo perfeita:"Mas há jogos muito piores do que esse".
Recomendo toda a série de Jogos Vorazes, e só digo uma coisa, não há como não amar essa série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário