Pular para o conteúdo principal

Resenha do Livro: Bento



O que você faria se acordasse depois de vinte anos em um mundo tomado por vampiros? E o pior e se você descobrisse que você é a pessoa que todos estão esperando, pois você junto com outras 29 pessoas, será o responsável por 4 milagres que salvarão a humanidade de uma terrível praga? Bem, eu não sei a resposta, mas sei o que Lucas fez, pois eu li Bento.
Bento é o primeiro livro da Saga o Vampiro Rei, primeiramente era para ser um livro único, mas tinha muito mais história para contar e seu autor, André Vianco, acabou escrevendo duas continuações, originalmente chamados de: O Vampiro-Rei vol 1 e vol 2, porém muitos leitores (eu estou na lista) acabavam lendo O Vampiro-Rei vol 1 sem antes ler Bento e acabavam ficando um pouco perdidos. Então para acabar com a confusão eles renomearam os livros, dando o nome de Saga O Vampiro Rei, sendo os livros chamados de: Bento, A Bruxa Tereza e Cantarzo.
Bem, confusões a parte, depois de anos consegui comprar Bento. Olhe era um dos primeiros livros que eu procurava nas livrarias daqui, porém ou eu estava querendo muito outro livro ou o livro já tinha sido vendido. Aí esse ano venho a (bendita/maldita) Black Friday e consegui comprar meu exemplar por um preço muito bom. E bem, coloquei-o na minha meta de leitura.
Eu realmente esperava algo bom, porque já li outros livros do Vianco e realmente gostei. Eu só não esperava que fosse algo apaixonante, viciante, que vai me deixar com DPL (depressão pós-livro), etc... Em outras palavras eu ainda estou de boca aberta com o término do livro e arrepiada. Sério!
Bem, a história é mais ou menos assim, há trinta anos ocorreu um apocalipse, só que invés de ser um apocalipse Zombie, foi um apocalipse de Vampiros. Como assim? Bem, a chamada Noite Maldita, foi uma noite em que metade da humanidade entrou em um sono profundo sem prazo para acordar, e a outra metade que sobrou ou virou vampiro ou sobrevivente do apocalipse. 
Os humanos que sobreviveram, obviamente, foram se juntando em comunidades afastadas dos grandes centros urbanos, já que estes foram totalmente tomados pelas criaturas demoníacas (leia-se vampiros). E acabaram levando os adormecidos (ao menos os que eles conseguiram) para lá. 
Os adormecidos uma hora ou outra começavam a acordar, e alguns com poderes incríveis de sentir o cheiro dos Vampiros e lutar contra eles. Esses caras ficaram conhecidos como bentos.
E um homem, chamado Bispo que começou a ter visões previu que quando houvessem trinta bentos e as trinta espadas destes homens se juntassem quatro milagres aconteceriam e ajudariam na luta contra os vampiros.
E então, Lucas desperta. O trigésimo Bento. O salvador. 
Bem, a partir daí nós temos uma história cheia de lutas, reflexões, uma trilha sonora maravilhosa feita por músicas de rock (Vianco tem um gosto ótimo para música!), terror, medo e esperança. 
Os vampiros desses livros (não brilham no sol e nem são repletos de sex appeal) são aterrorizantes, espertos, com uma sede de sangue terrível, queimam no sol, não podem com água benta (leiam o livro para entender melhor essa parte) e prata. 
Sendo um livro de aventura, beirando ao terror, André Vianco nos conduz por uma história emocionante de tirar o folego e que faz você querer virar as páginas cada vez mais rápido. Bento é um livro nacional que mostra que os escritores brasileiros tem talento de sobra e mentes brilhantes. 
Dei cinco estrelas do Skoob, favoritei e recomendo para todas as pessoas que gostam de terror, aventura, fantasia, suspense e todas essas coisas.
 É um livro muito bem estruturado, com cenas maravilhas. Leiam que vocês não vão se arrepender. 

Comentários

  1. Estou lendo e é fantástico mesmo, super indico.

    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é muito bommmm! Foi uma surpresa a leitura. Achei que iria ver algo bem ao estilo do "Sete", mas me surpreendi :)

    Academia Literária DF :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

20 conselhos de alguém com quase 20 anos

Oi, tem alguém aí? Em dez dias eu faço duas décadas de existência. E isso é muita coisa, ou pouca, depende do ponto de vista. Mas do meu ponto de vista é um bocado, que só me diz que tem mais um bocado pela frente (Graças a Deusa), e que já aprendi muito, e que ainda tem muito a aprender. Nesses últimos 19 anos eu aprendi muitas coisas, mas a principal é que essa vida só tem significado enquanto estamos aprendendo algo, que cada dia é uma lição e que enquanto você não aprender a lição que a vida quer lhe dar você vai continuar sendo colocada nas mesmas situações. Eu sei que a maioria das pessoas acredita que só aprendemos na prática, mas não acredito nisso porque já aprendi muito com conselhos dos outros ou ouvindo histórias dos outros e evitando repetir o mesmo erro, afinal, mesmo que não fosse comigo a situação era parecida e o resultado provavelmente seria o mesmo. Digo isso porque vou compartilhar 20 coisas que aprendi ao longo desses quase 20 anos e acho que podem ser muito út…

Resenha: O poeta do exílio.

e
Sinopse: Pedro e Júlia estavam animados. Sua banda era finalista do festival estudantil Vozes de Classe. O regulamento exigia que as músicas se inspirassem em poetas brasileiros. Cada banda interpretou essa exigência à sua maneira. Precisavam agora animar a torcida. Os jovens criam cartazes, lançam torpedos, folhetos etc. E precisam também reunir informações sobre Gonçalves Dias, o autor do poema que deu origem à música classificada. Então, Pedro teve a ideia de criar um blog especial. Nasceu assim o BlogDoDias. Ali cabia tudo o que se relacionasse a Gonçalves Dias: poemas, cartas, artigos de jornal, documentos da época do poeta... Enfim, o blog agitou a galera e acabou se transformando em um completo dossiê sobre o poeta. No meio de todo esse agito, Pedro e Júlia parece que estão...Ah, os poemas de amor de Gonçalves Dias...
Certo, hoje de manhã a linda da coordenadora do colégio apareceu com os livros que iremos ler esse trimestre, eu nem um pouco metida, já li o meu livro, primeiro …

Por que tenho o costume de sumir e voltar?

Oi, tem alguém aí? Provavelmente sou uma das pessoas mais relapsas com um blog que existe, desde que criei este blog, creio que só no ano de 2014 consegui mantê-lo com pelo menos um post ao mês. 2014 foi o que chamei de ano dos blogs literários e do booktube. Ler virou moda e todo mundo queria ter seu próprio blog sobre isso (principalmente com a ideia de parcerias com editoras e livros “de graça”, infelizmente). 2015 o pessoal migrou para o YouTube, e agora em 2017 até mesmo os canais do youtube estão abandonados e o pessoal sumido. É claro que muita gente foi pra faculdade, o que consome seu tempo (motivos pelo qual depois de março do ano passado não consegui atualizar nada aqui, na verdade só lembrei que o blog existia algumas vezes), mas muita gente desanimou com a ideia, porque além de trabalho a maioria das resenhas não eram sinceras, eram elogios a capa, a edição e uma opinião não muito clara sobre os livros. O famigerado booktube tem sofrido com isso porque o pessoal cansou…